África do Sul: produtores de uva sofrem com ‘lei seca’

Falta de contêineres para exportação agrava situação do setor
-Publicidade-
Suspensão da venda de bebidas alcoólicas contabiliza cerca de R$ 142 milhões de prejuízo aos produtores sul-africanos | Foto: Belisario Roldan/Flickr
Suspensão da venda de bebidas alcoólicas contabiliza cerca de R$ 142 milhões de prejuízo aos produtores sul-africanos | Foto: Belisario Roldan/Flickr

Os produtores de uva da África do Sul sentem o gosto amargo das medidas de restrição impostas no país desde o início da pandemia de covid-19. Em março do ano passado, o governo local fechou os portos e estabeleceu uma lei seca, que dura até hoje.

Leia mais: “França: produtores mudam tradição e aumentam distanciamento de videiras”

Com as vendas de bebidas alcoólicas suspensas, a Wines of South Africa, que promove os vinhos sul-africanos no exterior, contabiliza prejuízos na ordem de 400 milhões de rands (cerca de R$ 142 milhões) nas vendas para cada semana de lei seca, e 3,7 bilhões de rands (cerca de R$ 1,31 bilhão) pelo turismo de vinhos. Segundo estimativas da associação, se a medida não for revogada, 80 vinícolas do país podem encerrar as atividades e 20 mil postos de trabalho deixarão de existir nos próximos 18 meses.

-Publicidade-

Leia também: “Putin decreta que só o espumante fabricado na Rússia é champanhe, e França ameaça ir à OMC”

O drama dos produtores sul-africanos é agravado por problemas logísticos. Mesmo depois de o governo local ter reaberto os portos, a falta de contêineres dificulta o envio dos vinhos ao exterior; como efeito, há redução nas compras por parte de outros países. O mercado brasileiro, por exemplo, comprou 64,7 mil caixas no ano passado, volume 47% menor em comparação com o total importado em 2019 (122,6 mil caixas).

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro