Alzheimer: descoberta detecta doença com apenas um exame

Estudo utilizou inteligência artificial para analisar a estrutura cerebral de pacientes

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
A maioria das pessoas que recebem o diagnóstico da doença está acima dos 65 anos
A maioria das pessoas que recebem o diagnóstico da doença está acima dos 65 anos | Foto: Divulgação Dasa

Pesquisadores do Imperial College London, universidade pública de pesquisa, desenvolveram uma técnica de ressonância magnética (MRI) que detecta o Alzheimer em estágio inicial. O resultado do teste obteve 98% de precisão no diagnóstico da doença.

O estudo utilizou inteligência artificial para analisar a estrutura cerebral, incluindo as partes que não são associadas ao Alzheimer. Atualmente, os médicos realizam diversos exames a fim de diagnosticar a doença.

Os testes são importantes para monitorar o grau de proteína no cérebro e o encolhimento do hipocampo, região onde grande parte da memória está armazenada. Todos os exames, feitos tradicionalmente, podem demorar diversas semanas.

-Publicidade-

Agora, somente a MRI vai ser solicitada. O exame já conhecido é realizado em uma máquina comum de ressonância, geralmente encontrada em hospitais. A diferença é que os cientistas adaptaram um algoritmo usado na máquina para classificar tumores de câncer e o aplicaram à região do cérebro.

Na pesquisa, o cérebro foi dividido em 115 regiões com 660 características diferentes, como: tamanho, textura e forma. Depois, o algoritmo identificou como as mudanças em cada parte poderiam prever com exatidão a existência da doença.

O estudo foi testado em mais de 400 pacientes com Alzheimer. Os cientistas descobriram que, em 98% dos casos, somente o exame da MRI foi capaz de identificar se o paciente tinha ou não a doença. Em 79% dos pacientes, o teste também distinguiu quais estavam na fase inicial ou avançada da enfermidade.

Alzheimer

A maioria das pessoas que recebem o diagnóstico da doença está acima dos 65 anos. Contudo, o Alzheimer pode surgir de forma precoce em pessoas mais novas. A doença não tem cura. Entretanto, diagnosticá-la no estágio inicial pode auxiliar o paciente na procura por tratamento médico correto para controlar os sintomas, retardando ao máximo a doença.

Os sintomas do Alzheimer geralmente são:

  • perda de memória;
  • dificuldade em executar tarefas do dia a dia;
  • desorientação;
  • problemas de linguagem;
  • repetição de conversas ou tarefas;
  • trocar o lugar das coisas;
  • mudanças bruscas no humor e na personalidade, em alguns casos;
  • desinteresse pelas atividades habituais.
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.