As razões que levaram Maduro a cancelar encontro com Lula

Governo venezuelano identificou uma 'ameaça' à segurança nacional
-Publicidade-
O ditador Nicolás Maduro tem medo de ser preso fora da Venezuela
O ditador Nicolás Maduro tem medo de ser preso fora da Venezuela | Foto: Reprodução/Flickr

Aliado antigo de Luiz Inácio Lula da Silva, o ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, cancelou horas antes o encontro que teria com o petista na Argentina. Os integrantes do governo venezuelano identificaram uma “ameaça” à segurança nacional do país, com alegação de que haveria um plano de agressão contra a delegação.

“Nas últimas horas fomos informados de um plano elaborado no cerne da direita neofascista cujo objetivo é realizar uma série de agressões contra nossa delegação”, afirmou Caracas, justificando a ausência de Maduro na reunião.

A “ameaça” alegada pelo governo chavista seria uma ordem de prisão internacional expedida pelos Estados Unidos contra o ditador. Por esse motivo, Maduro só viaja para outro país quando tem a certeza de que não será capturado pelas autoridades locais.

-Publicidade-

O governo venezuelano precisaria ainda realizar a viagem em uma aeronave de bandeira argentina, e não venezuelana, para evitar a possibilidade de Maduro ser detido em espaço aéreo internacional.

Maduro “não teve garantias de que não seria capturado e enviado aos EUA”, disse o tenente venezuelano José Antonio Colina ao jornal Estado de S. Paulo. Segundo ele, a rota do avião do ditador também era um problema, pois seria necessária a garantia dos países de que a aeronave não seria obrigada a aterrissar.

Na semana passada, quando foi anunciado que o ditador venezuelano havia sido convidado a visitar o país, representantes da oposição argentina — maioria no Congresso — começaram a se manifestar contra a viagem e pediram a detenção do chavista por crimes de lesa-humanidade.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

19 comentários Ver comentários

  1. O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, e o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, apresentam plano combinando diversas ações para enfrentar o problema da Cracolândia, região que reúne fluxos de dependentes de drogas e que atualmente está espalhada pela região central da capital paulista.

    “Talvez a gente estivesse, ao longo desse tempo, abordando o problema de uma forma errada. E, de fato, não é fácil encontrar a forma certa. Quem chegar aqui dizendo que tem a solução, que a solução é simples, estará mentindo. Para a gente desenhar esses primeiros passos, ouvimos muitos especialistas”, disse Tarcísio de Freitas.

    https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/45640/tarcisio-surpreende-todos-e-anuncia-incrivel-plano-de-acao-na-cracolandia

  2. Depois de 7 milhões de venezuelanos que fugiram de seu país, deve ter algum(s) doido(s) querendo se livrar dele.
    É assim, ditador não tem liberdade de ir e vir. Estamos indo para o mesmo caminho.

  3. O DEA (Drug Enforcement Administration) a famosa narcóticos no E.U.A, colocou uma premiação de 15 milhões de dólares para quem ajudar a capturar ele. O cidadão está na lista dos mais procurados por tráfico internacional de drogas, agora fica a reflexão, o digníssimo é recebido e homenageado pela a organização CPX, amigo próximo de traficante internacional, quer estreitar alianças. Agora a soma, resultado e conclusões finais, ficam em aberto. Lmao

  4. O Gabinete de Segurança Institucional (GSI), comandado pelo general Marco Edson Gonçalves Dias, sabia do risco dos atos de vandalismo praticados em 8 de janeiro na Praça dos Três Poderes, em Brasília. O general Dias já chefiou anteriormente o esquema de segurança pessoal do presidente Lula. A informação é da revista Veja, que teve acesso a um conjunto de mensagens que revelariam ter ocorrido “no mínimo negligência, imprudência e omissão de autoridades lotadas no próprio Palácio do Planalto, particularmente no GSI”.

    As mensagens foram trocadas em um grupo de WhatsApp utilizado pelo GSI e pelo Comando Militar do Planalto (CMP) para combinar procedimentos operacionais. Em 6 de janeiro, aconteceu uma reunião de representantes de segurança do Distrito Federal (DF), do governo Federal, do Congresso e do Supremo Tribunal Federal. O encontro serviu para montar um plano de segurança para o protesto que estava sendo convocado para o fim de semana.

    A decisão unânime foi contra a autorização de manifestantes na Esplanada dos Ministérios. Para o GSI, no entanto, a situação poderia ser tratada como “normalidade”. A segurança foi deixada para apenas 15 homens. https://revistaoeste.com/politica/general-dispensou-pelotao-de-choque-no-dia-8-de-janeiro-diz-veja/

    1. Fiquei muito triste mesmo…
      Amigos verdadeiros de longa data não podem se reunir pra conversar pra trocar idéias, trocar conhecimentos principalmente sobre as maravilhas feitas em seus países, os benefícios oferecidos ao povo, seria muito bom mesmo poder assistir a está cena.
      Os presidentes de Venezuela Nicarágua, Argentina, Brasil é vários outros trocando experiências de como tornar o povo mais pobre dependente do estado é principalmente mais ignorante, em acreditar neles. Dariam belas gargalhadas juntos, da tragédia que oferecem ao seu povo.

  5. Mas, vamos e venhamos. Essa conversa de “prisão” não se sustenta. Mesmo na versão da interceptação aérea. A rota poderia ser pelo Brasil, com risco zero no atual governo. O que Maduro teme, na verdade, é um assassinato. São milhões de refugiados venezuelanos espalhados pelo continente. Onde quer que ele vá, haverá algum venezuelano que queira liquidar essa fatura (inclusive militares treinados). Ele só estará relativamente seguro dentro do próprio território, onde as inteligências venezuelana e cubana mantém tudo sob controle. Mesmo assim, ele se protegeu com sistemas antiaéreos russos (S-300). Provavelmente por medo dos drones “Predators” americanos. Eu não duvidaria de que o “medão” venha do Atlântico Sul. Notem que Buenos Aires é uma capital muito exposta ao Atlântico, e que a marinha argentina não é lá grande coisa, como provou-se na Guerra das Falklands (ou Guerra das Malvinas, pra quem preferir).

  6. O pior é saber que o chefão dessa quadrilha é autoridade por aqui. E pior ainda, com amplo apoio das nossas “zelites”. A chance disso aqui dar certo é um zero absoluto.

  7. Sempre a falácia dos falsos argumentos e mudança das palavras. “Ameaça a segurança Nacional”… Ele é a ameaça a própria Venezuela, mas inverte a realidade e se coloca como um Salvador.

  8. “No mundo sempre houve tiranos e assassinos. E por algum tempo eles parecem invencíveis. Mas, no final, sempre caem”.

    Mahatma Gandhi, 1869-1948, líder espiritual, idealizador e fundador do moderno Estado indiano.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.