Bolívia terá eleições gerais em 6 de setembro

Presidente Jeanine Áñez sofreu pressões de aliados e opositores; ela assumiu o governo depois de Evo Morales renunciar por supostas fraudes eleitorais
-Publicidade-
A presidente da Bolívia, Jeanine Áñez | Foto: REPRODUÇÃO/FACEBOOK
A presidente da Bolívia, Jeanine Áñez | Foto: REPRODUÇÃO/FACEBOOK | A presidente da Bolívia, Jeanine Áñez | Foto: REPRODUÇÃO/FACEBOOK

Presidente Jeanine Áñez sofreu pressões de aliados e opositores; ela assumiu o governo depois de Evo Morales renunciar por supostas fraudes eleitorais

bolívia
A presidente da Bolívia, Jeanine Áñez | Foto: REPRODUÇÃO/FACEBOOK

A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, promulgou no domingo 21 a lei que convoca eleições gerais para 6 de setembro deste ano. Ela vinha sendo pressionada por opositores e aliados. Contudo, relutava em marcar o novo pleito por causa da pandemia de coronavírus.

-Publicidade-

“Recebi pressões exigindo a disputa em 6 de setembro, ou seja, em plena pandemia. Tenho um país sofrendo, muitos políticos e autoridades exigindo eleições o mais rápido possível”, afirmou a presidente em mensagem publicada nas redes sociais. Chefe do Executivo desde novembro do ano assado, Jeanine Áñez assumiu o comando do país depois de Evo Morales renunciar por supostas fraudes eleitorais.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro