-Publicidade-

China recorre a testes retais para detectar o coronavírus

Além de turistas, crianças em idade escolar e professores foram submetidos ao procedimento em Pequim
O ditador da China Xi Jinping
O ditador da China Xi Jinping | Valter Campanato/Agência Brasil

O Partido Comunista da China está exigindo “testes retais” com a finalidade de detectar o coronavírus em pessoas de risco e em viajantes que chegam do exterior. Embora o país utilize o método PCR para tal, em que amostras são retiradas do nariz ou da garganta do paciente, moradores de vários bairros de Pequim foram submetidos ao procedimento retal. Além disso, a medida está sendo imposta a pessoas que se encontram em confinamento obrigatório em hotéis, incluindo turistas. É o que informou nesta quinta-feira, 28, a emissora estatal CCTV, ao entrevistar um médico ligado ao governo.

Conforme Li Tongzen, doutor do hospital You’an, na capital chinesa, o teste retal “aumenta a taxa de detecção de pessoas infectadas” porque o coronavírus permanece mais tempo no ânus do que no trato respiratório. No entanto, o PCC informou que a iniciativa não será generalizada. Conforme veiculou a agência de notícias Bloomberg, mais de mil crianças em idade escolar e professores foram testados em Pequim pelo ânus, pela garganta e pelo nariz na semana passada, além de fazer o teste de anticorpos. Os exames foram realizados após a descoberta de um caso assintomático, de acordo com autoridades locais.

Leia também: “Chegou a hora de enfrentar a China — e a Rússia”, artigo de Bruno Garschagen publicado na edição 18 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês