Coronavírus: Não existem mais pacientes na UTI no Paraguai

O governo atribui isso ao decreto de quarentena obrigatória e a paralisação de atividades não essenciais, que foi assinado no dia 10 de março, apenas três dias após o primeiro caso ser registrado no Paraguai.
-Publicidade-
Foto: Alex Steffler/Wikimedia
Foto: Alex Steffler/Wikimedia | Paraguai

País sul-americano vai começar aos poucos a voltar ao normal, anunciou o presidente Mario Abdo Benítez

Paraguai
Foto: Alex Steffler/Wikimedia
-Publicidade-

O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, afirmou em entrevista coletiva ontem, 29, que não existem mais pacientes internados na UTI em razão do coronavírus no país

“Podemos dizer que hoje não temos uma só pessoa em terapia intensiva”, afirmou Abdo, conforme informa o jornal O Estado de S.Paulo. No total, o país com cerca de 7 milhões de habitantes teve 239 casos confirmados e 9 mortes em razão da covid-19.

O governo atribui isso ao decreto de quarentena obrigatória e a paralisação de atividades não essenciais, que foi assinado no dia 10 de março, apenas três dias após o primeiro caso ser registrado no Paraguai.

Abdo Benítez anunciou que a partir da próxima segunda-feira, 4 de maio, o país vai começar a passar o que foi chamado de “quarentena inteligente”, com um retorno gradual às atividades, mas mantendo as políticas de distanciamento social e de higiene.

As fronteiras permanecem fechadas e as escolas vão permanecer com o ensino online até o final do ano.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site