Covid-19: média diária de mortes cai pelo 2º mês seguido em Israel

Em agosto, o país teve uma explosão na quantidade de mortes
-Publicidade-
Números da OMS apontam para a redução no número de mortes em Israel
Números da OMS apontam para a redução no número de mortes em Israel | Foto: Reprodução/Flickr

Israel entra no segundo mês seguido com redução na média diária de mortes relacionadas à covid-19. Considerando a contagem feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a proporção de mortos por dia ficou em três nos 11 primeiros dias de novembro, número menor que os resultados de outubro (dez), setembro (19) e agosto (23).

O registro da OMS aponta 34 mortes até ontem, em novembro, diante dos números da quantia completa em outubro (320), setembro (695) e agosto (606) em Israel. No oitavo mês do ano, o país teve uma explosão no número de mortes, já que a quantidade de óbitos em julho havia sido cerca de 12 vezes menor (51). O pico desse número mensal de óbitos durante a pandemia em território israelense, até o momento, ocorreu em janeiro deste ano (1.428).

-Publicidade-

Mortes aumentaram mesmo com a vacinação acima de 50%

Em 1º de agosto, Israel possuía 58% de sua população completamente vacinada contra a covid-19, segundo o site Our World In Data, vinculado à Universidade de Oxford. No mês de setembro, quando 695 mortes foram registradas no país, o índice de israelenses completamente vacinados estava em 68% no dia 1º e 70% no dia 30.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Vejo que ao fazer uma reportagem assim se investigue que tipo de população sucumbiu. Foram vacinados mas possuem comorbidades? Como a covid é uma doença inflamatória e as vacinas (coronavac não, mas lá não tem) foram feitas a partir da proteína spike que desencadeia a reação (e que sofre mutação), a vacina pode ter desencadeado reação em pessoas que (sabiam ou não) ter tido a doença. Uma doença que mais de 70% das pessoas não apresentam sintomas, e que pode desencadear resposta inflamatória de graus diversos, dependendo de cada tipo de organismo, e que dependendo da capacidade de resposta de cada organismo (com relação a idade das pessoas, comorbidades, obesidade ou não, histórico de atividade física e etc) ao entrar em contato com o fragmento do vírus que causa a doença; é no mínimo irresponsável que o Estado exija que as pessoas se vacinem. Diria criminoso pois acho mais adequada essa palavra. Qual o real resultado se espera ao vacinar uma pessoa que esteja com altos níveis de anticorpos? A pessoa tem defesa sentinela pra identificar partes do vírus que inclusive não estão na vacina. A reação, dependendo dos moduladores inflamatórios que a pessoa tem, podem desencadear na doença já em fase inflamatória. Não vejo inteligência nessas ações, ao contrário.

  2. Artur Piva e revista Oeste, o que acontece com o povo de Israel é importante, mas um pouco distante de nossa realidade. Não seriam mais significativos os acontecimentos sobre a pandemia daqui, para nós? Vcs bem que poderiam ter uma resenha semanal sobre, não acham?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.