Dificuldade de ficar numa perna só pode indicar risco de morte, diz estudo

Pesquisa com participação de brasileiros aponta riscos para pessoas acima de 50 anos
-Publicidade-
Estudo aponta para aumento dos riscos em pessoas acima de 50 anos de idade
Estudo aponta para aumento dos riscos em pessoas acima de 50 anos de idade | Foto: Shutterstock

Não conseguir se equilibrar sobre uma perna só por pelo menos dez segundos pode indicar risco de morte em até dez anos para pessoas acima de 50 anos. A conclusão é de uma pesquisa publicada na terça-feira 21 pela revista científica British Journal of Sports Medicine (BJSM).

O estudo contou com a participação de quatro pesquisadores brasileiros, além de outros da Austrália, Reino Unido, Finlândia e EUA. Ao todo, foram avaliados 1.702 voluntários, com idades entre 51 e 75 anos de idade, entre fevereiro de 2009 e dezembro de 2020. O objetivo da pesquisa era identificar a relação entre testes de aptidão física e problemas de saúde que podem levar à morte.

Segundo os resultados, a incapacidade de ficar em uma perna só está relacionada a uma chance 3,8 vezes maior de risco absoluto de morte. “É um risco muito maior do que ter diagnóstico de doença coronariana, ser obeso, hipertenso ou ser dislipidêmico. Então, é prioridade que o médico avalie também essa capacidade [de ficar em uma perna só]”, afirma o médico Claudio Gil Soares de Araújo, autor principal do artigo científico e diretor de pesquisa e educação da Clínica de Medicina do Exercício (Clinimex). Os pesquisadores recomendam ainda que o teste de equilíbrio seja incluído em exames de rotina para idosos.

-Publicidade-

Uma das hipóteses que explicariam o maior risco de mortalidade em pessoas acima dos 50 anos que apresentam problemas de equilíbrio é que elas estão mais sujeitas às quedas, de acordo com o médico Claudio Araújo. Para alertar sobre o risco, a Organização Mundial da Saúde (OMS) instituiu o dia 24 de junho como o Dia Mundial da Prevenção de Quedas.

Apesar dos números adquiridos pelo estudo, a pesquisa é observacional, ou seja, não pode estabelecer uma relação de causa e efeito porque consiste no registro sistemático de padrões de comportamento das pessoas.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Eu quero ver é quem consegue se equilibrar com as duas pernas levantadas, lol.

    O estudo pode até ser sério, ter um fundamento científico, mas o mais comum é que seja meio que no chute mesmo. Existem várias doenças que não matam, onde o indivíduo não consegue se equilibrar em uma perna só.

  2. Então os cientistas britânicos estudaram casos de pessoas que não tem bom equilíbrio e chegaram a conclusão, após anos de estudo, que elas tem maior chance de morrer em uma queda.

    Acho que essa importante pesquisa deve continuar, agora com voluntários recebendo um leve empurrão lateral enquanto estiverem com um dos pés sem apoio.

  3. O enigma da Esfinge já ocultava a sabedoria dos antigos: – “Qual a criatura que anda com quatro patas de manhã, Duas pernas ao meio-dia e três à noite”? É do balacubáculo.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.