Dose de reforço pode aumentar proteção em 83 vezes, diz farmacêutica

Dados preliminares de estudos desenvolvidos pela Moderna revelam que a terceira dose do imunizante se mostra mais eficaz contra a Ômicron
-Publicidade-
Atualmente, a vacina da Moderna é uma das mais utilizadas nos Estados Unidos
Atualmente, a vacina da Moderna é uma das mais utilizadas nos Estados Unidos | Foto: Divulgação

A dose de reforço contra o coronavírus pode apresentar resultados satisfatórios no combate à variante Ômicron. O anúncio foi feito nesta segunda-feira, 20, pela empresa de biotecnologia Moderna, de acordo com os números preliminares.

“O reforço atualmente autorizado aumentou os níveis de anticorpos neutralizantes contra a Ômicron em aproximadamente 37 vezes em comparação com os níveis de pré-reforço”, comunicou. Porém, os níveis de proteção podem subir consideravelmente se a dose for dobrada, chegando a 83 vezes, em comparação com os níveis pré-reforço, afirmou a farmacêutica.

Atualmente, a vacina da Moderna é uma das mais utilizadas nos Estados Unidos.

-Publicidade-

A empresa anunciou também que continuará a desenvolver um imunizante específico para a variante Ômicron e que espera avançar em testes clínicos no início de 2022.

“Para responder a essa variante altamente transmissível, a Moderna continuará a avançar rapidamente em um reforço específico para a variante Ômicron para testes clínicos, caso seja necessário no futuro”, disse Stéphane Bancel, CEO da Moderna.

“Também continuaremos a gerar e compartilhar dados em nossas estratégias de reforço com autoridades de saúde pública para ajudá-las a tomar decisões baseadas em evidências sobre as melhores estratégias de vacinação contra o vírus da covid-19”, completou o executivo.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Pergunta de 1 milhao! NO BRASIL ALGUÉM ESTA MONITORANDO OS EFEITOS ADVERSOS DAS VACINAS????
    Na Alemanha, o Instituto Paul Ehrlich (PEI) é o principal responsável pelo monitoramento da segurança das vacinas. Alguns bons 172.000 suspeitos de efeitos colaterais da vacina e complicações da vacinação foram incluídos no último relatório, que continha relatórios até o final de setembro – com quase 108 milhões de vacinações administradas na Alemanha. Existem sistemas de relatórios semelhantes em todo o mundo.
    E no Brasil???

  2. Um dirigente da Alemanha falou que a variante ômicron foi um presente de Papai Noel, é muito contagiosa e de baixíssima letalidade, funcionando como imunizante natural. Ele deve ter sido informado por pessoas credenciadas, não interessadas em vender vacinas.

  3. Claro. A gente acredita nos “ótimos resultados”. Desde que se use mascara, mantenha distanciamento e nossos adoráveis governantes tiranos continuem nos manipular e controlar…. conta outra.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.