Elon Musk libera internet por satélite na Ucrânia

O CEO da Spacex atendeu o pedido do ministro da Transformação Digital do país
-Publicidade-
Elon Musk é fundador da SpaceX
Elon Musk é fundador da SpaceX | Foto: Reprodução/Flickr

A SpaceX ativou Starlink, serviço de internet via satélite, na Ucrânia. O CEO da empresa, Elon Musk, anunciou a medida no sábado 26, atendendo a um pedido feito por Mykhailo Fedorov, ministro da Transformação Digital ucraniano.

“Elon Musk, enquanto você tenta colonizar Marte, a Rússia tenta ocupar a Ucrânia”, escreveu Feodorov. “Enquanto seus foguetes pousam com sucesso do espaço, foguetes russos atacam civis ucranianos. Pedimos que você forneça à Ucrânia estações Starlink e dirija-se a russos sãos para ficarem de pé.”

Musk respondeu dizendo que o “serviço Starlink está, agora, ativo na Ucrânia” e prometeu “mais terminais a caminho”. A SpaceX lançou uma segunda remessa de cerca de 50 satélites Starlink na sexta-feira 25. Os equipamentos se destinam às demandas mundiais da empresa.

-Publicidade-

Resistência à invasão russa

Os russos iniciaram uma invasão à Ucrânia em 24 de fevereiro. No dia seguinte, os militares chegaram à capital do país, Kiev. Até o momento, os ucranianos resistem.

O presidente da Ucrânia recusou o conselho dos Estados Unidos de deixar o país. “A luta está aqui”, afirmou o líder ucraniano. “Preciso de munição, não de carona.”

Zelensky anunciou hoje a criação de uma legião formada por estrangeiros para defender a Ucrânia. Ao fazer a convocação, ele disse “que todos que querem se juntar à defesa da segurança na Europa e no mundo podem vir e ficar lado a lado com os ucranianos contra os invasores do século XXI.”

Negociações de paz

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, confirmou neste domingo, 27, que uma comitiva diplomática de seu país vai se reunir com representantes russos para tratar da paz. O encontro ocorrerá na fronteira com a Bielorrússia.

“Concordamos que a delegação ucraniana se reúna com a delegação russa sem condições prévias na fronteira ucraniana-bielorrussa, perto do rio Pripyat”, escreveu Zelensk, no Instagram. “Alexander Lukashenko assumiu a responsabilidade de garantir que todos os aviões, helicópteros e mísseis estacionados em território bielorrusso permaneçam no solo durante a viagem, as conversas e o retorno da delegação ucraniana.”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Sim, a paz deve ser negociada, logo. O responsável pela Ucrânia deveria saber que não se cutuca um grande urso, sem um bom rifle e excelente mira. Agora, o povo ucraniano sofre pelos erros cometidos pelo sr. que “lidera” a Ucrânia. Faça logo a paz e acabe com o sofrimento do povo, pois sem soldados e excelentes armamentos, não conseguirá reter o avanço russo. Pode até atrasar, mas reter, não. A invasão não deveria ter acontecido, o presidente russo avisou, mas não foi ouvido. A razão deve prevalecer sobre a emoção.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.