Em evento da vitória sobre os nazistas, Putin fala em ‘russofobia’

Mandatário disse que apoia o direito internacional, mas 'sempre vai defender firmemente os interesses nacionais russos'
-Publicidade-
Presidente da Rússia, Vladimir Putin | Foto: Mikhail Metzel/TASS
Presidente da Rússia, Vladimir Putin | Foto: Mikhail Metzel/TASS

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, denunciou neste domingo, 9, a volta de discursos de “supremacia racial e étnica, anti-semitismo e russofobia”. A declaração foi dada em discurso de celebração dos 76 anos da vitória dos soviéticos sobre o nazismo.

Putin ressaltou que apoia o direito internacional, mas “sempre vai defender firmemente os interesses nacionais russos e garantir a segurança do povo” do país. “Infelizmente, são feitas tentativas de implantar uma grande parte da ideologia nazista e as ideias daqueles que estavam obcecados com a teoria delirante de sua própria supremacia”, afirmou.

Leia mais: “Biden quebra tradição e omite Deus em discurso do Dia da Oração”

-Publicidade-

O discurso aconteceu em um grande evento na Praça Vermelha, em Moscou. Este é o principal feriado do país, marcado por imponentes paradas militares na capital e nas principais cidades. Segundo uma pesquisa do instituto público Vtsiom, 69% consideram a data a mais importante da Rússia.

Tensão em alta nos últimos anos

Nos últimos anos, a tensão entre Moscou e os ocidentais cresceu – a Rússia foi alvo de múltiplas sanções devido à anexação da Crimeia, na Ucrânia, em 2014, e o seu papel no conflito no país vizinho, que dura até hoje. O país também foi repreendido por acusações de ataques cibernéticos contra alvos ocidentais e repressão da oposição anti-Putin.

Este ano, o 9 de maio ocorre em meio a uma recrudescência da tensão na Ucrânia, com o envio de dezenas de milhares de militares russos para a fronteira e o temor de uma nova ofensiva. Além disso, o envenenamento e a prisão do principal opositor ao presidente, Alexeï Navalny, continuam a abalar os ânimos entre Moscou e a União Europeia.

Evento na Praça Vermelha | Foto: Reprodução/Kremlin

Com informações da RFI

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. É mais fácil atacar o nazismo que reconhecer o próprio sistema que o ditador dirige. Ao menos Hitler não matou os próprios alemães para que se convertessem ao nazismo, coisa que a Rússia fez ao condenar milhares de russos que não quiseram a revolução.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.