-Publicidade-

Empresário é condenado à morte na China

Partido Comunista justifica decisão por corrupção e bigamia
O empresário Lai Xiaomin; de parceiro do Partido Comunista a condenado à morte
O empresário Lai Xiaomin; de parceiro do Partido Comunista a condenado à morte | Foto: Reprodução/Wikipédia

O empresário Lai Xiaomin será assassinado pelo governo chinês. Ex-presidente do grupo China Huarong Asset Managment, um dos maiores conglomerados do mercado financeiro do país asiático, ele foi condenado à morte, confirmaram autoridades locais nesta terça-feira, 5. A data da execução não foi divulgada.

Leia mais: “Após criticar a China, fundador do Alibaba ‘desaparece'”

De acordo com informações divulgadas pelo governo central da China à imprensa internacional, Xiaomin foi considerado culpado por corrupção e pela prática “criminosa” de bigamia. Ele teria recebido cerca de US$ 260 milhões. Além disso, o empresário teria mantido relações com mulheres de fora de seu casamento, chegando a ter filhos.

“Intenções extremamente danosas”

Para a condenação à morte de Xiaomin, autoridades chinesas classificaram os dois casos como “particularmente graves” decorrentes de “intenções extremamente danosas”. Canal de televisão controlado pelo Partido Comunista da China, a CCTV chegou a divulgar em janeiro de 2020 o que seria uma confissão do hoje condenado. Imagens mostravam dinheiro em espécie supostamente guardado em um apartamento da capital Pequim. Em vídeo, o empresário assumia o recebimento de propina, mas que “não teve coragem” para gastar nenhum dólar, relembra a agência de notícias Ansa.

Lai Xiaomin

Mais recente condenado à morte pelo governo chinês, o empresário Lai Xiaomin tem experiência para além do China Huarong Asset Managment. Anteriormente com bom relacionamento com o comando do Partido Comunista, chegou a ter cargo na agência nacional de supervisão de negócios bancários e atuou no Banco Central chinês.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês