EUA: 40 mil militares podem ser expulsos do Exército

A imunização é obrigatória no país para os membros das Forças Armadas; o prazo para receber a vacina anticovid termina amanhã
-Publicidade-
Há quatro meses a vacinação para os militares é uma exigência do governo norte-americano
Há quatro meses a vacinação para os militares é uma exigência do governo norte-americano | Foto: Divulgação/Exército dos EUA

Cerca de 40 mil militares da ativa dos Estados Unidos (o equivalente a 3% do efetivo total) se recusaram a receber a vacina contra a covid-19. As informações são do jornal Washington Post.

O prazo para os militares da ativa no Exército vence na quarta-feira 15. No caso da Marinha e dos fuzileiros navais, o prazo era 28 de novembro, e na Força Aérea, 2 de novembro.

Os militares requisitaram uma isenção de longo prazo para não se imunizarem contra o vírus, alegando motivos médicos ou religiosos.

-Publicidade-

Até o momento, segundo a reportagem do jornal, poucos pedidos de dispensas médicas permanentes foram aprovados, e nenhuma isenção religiosa. A vacinação é uma exigência do governo norte-americano há quatro meses.

O Pentágono cogita duas hipóteses: à medida que pedidos de isenção forem negados (nas Forças cujos prazos já venceram, muitos ainda estão sendo processados), mais militares deverão optar por se vacinar; e expulsar das Forças Armadas quem não cumprir a exigência de vacinação.

O Exército informou que os recusadores da vacina seriam submetidos a aconselhamento antes de enfrentar ações punitivas que ameaçariam suas carreiras.

Até o fim da semana passada, 96% dos militares da ativa receberam ao menos uma dose da vacina e 90% completaram a imunização, segundo o secretário de imprensa, John Kirby.

Leia também: “A era do pânico”, reportagem de Paula Leal publicada na edição 90 da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.