Explosão no Porto de Beirute completa 1 ano

Investigações estão travadas e familiares continuam sem respostas
-Publicidade-
Explosão na zona portuária de Beirute, no Líbano em 2020 | Foto: Reprodução/Mídias Sociais
Explosão na zona portuária de Beirute, no Líbano em 2020 | Foto: Reprodução/Mídias Sociais | Explosão atinge zona portuária de Beirute, no Líbano | Foto: REPRODUÇÃO/INTERNET

Há um ano, uma explosão no Porto de Beirute, capital do Líbano, matou mais de 200 pessoas e deixou outras 6 mil feridas. A investigação sobre o incidente está parada, pois alguns partidos políticos tentam impedir o interrogatório de oficiais do governo. A Justiça quer entender por que eles não tomaram nenhuma atitude depois de saber que mais de 2 mil toneladas de nitrato de amônia — utilizado na fabricação de fertilizantes e outros produtos químicos — foram armazenadas indevidamente por seis anos. Esses produtos se  inflamaram e causaram a explosão.

Diante da lentidão do processo, parentes dos mortos e sobreviventes pediram uma investigação internacional, liderada pelas Nações Unidas. Eles dizem que não acreditam no sistema judicial libanês. Mas líderes do país rejeitam os pedidos.

Leia mais: “Policial do Pentágono é assassinado a facadas”

-Publicidade-

Além disso, a situação no Líbano é agravada pelo colapso econômico. O Banco Mundial chegou a classificar o quadro financeiro “possivelmente” entre os três primeiros no ranking da crise monetária mais grave do mundo desde 1950. Com a alta da inflação no país e a falta de dólares para pagar importações a população tem encontrado dificuldade para comprar remédios, combustível ou até mesmo, para achar alimentos nos mercados.

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro