Filme infantil, Lightyear vai ter beijo lésbico

Na animação, duas personagens protagonizam um romance gay

A Oeste depende dos assinantes. Assine!

-Publicidade-
Cena do trailer de Lightyear, mostrando a personagem Hawthorne
Cena do trailer de Lightyear, mostrando a personagem Hawthorne

O filme Lightyear vai ter um beijo lésbico entre duas personagens. A cena havia sido cortada da animação infantil, mas a Disney recuou depois de ser pressionada por funcionários, informou a revista Variety, no sábado 19.

No enredo do spin-off de Toy Story, a astronauta e cientista Hawthorne, dublada pela atriz Uzo Aduba, vai viver um romance com outra mulher. Em determinado momento do filme, as duas irão protagonizar um beijo gay.

Cerco à Disney

-Publicidade-

A Disney foi acusada por um grupo de funcionários dos Estúdios Pixar — propriedade da Disney — de “censurar pessoas LGBTQ+”. “Nós estamos sendo impedidos de criar personagens desse tipo”, informa trecho de uma “carta aberta” à sociedade e à comunidade artística dos Estados Unidos.

As pressões contra a Disney começaram quando a Flórida aprovou um projeto de lei que barra a ideologia de gênero nas escolas. Esquerdistas acusaram a Disney de não proteger negros, gays, trans e lésbicas, além de ter feito doações a políticos do Partido Republicano que deram sinal verde ao texto.

A medida do governador do Estado, Ron de Santis, foi apelidado de “Don’t say gay”, em virtude de o projeto supostamente ser preconceituoso com LGBTs.

Leia também: “A tirania do cancelamento foi longe demais”, artigo de Dagomir Marquezi publicado na Edição 81 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

22 comentários Ver comentários

  1. Cada vez mais vou tendo a certeza de que a intenção é acabar com a família. Já não basta atingir os adultos e agora o foco são as crianças. Gente… isso é muitos sério! Logo a Disney que antigamente “ERA” a melhor produtora de conteúdos infantis e agora protagoniza esse cenário caótico de destruição das familias e crianças. FORA DISNEY!

  2. Nos EUA já virou o fio, já chegou o ponto crítico em que isso fica tão caricato e ridículo que a futilidade e a boçalidade ficam escancaradas. Escancaradas demais, a ponto de todos, gradativamente, se darem conta de que o Rei está nu, e não apenas a criança que aponta a insanidade do povo. Demora um pouco para chegar até aqui. Mas, como tudo que acontece lá, uma hora chega aqui também. É só deixar o absurdo seguir trabalhando que no longo prazo a realidade se impõe sobre o delírio.

  3. Qual a necessidade desta abominação? Deixem as crianças em paz. Não queiram decidir por elas. Esta tarefa cabe aos pais. Quando forem adultos que decidam. Como uma minoria pode impor suas vontades sobre a maioria

  4. Já destruíram a saga Star Wars, acabando com o casal mais famoso do cinema e o protagonista branco, e agora vão atacar todos os desenhos de sucesso similares.

    A sociedade norte americana está doente, os desenhos e filmes são apenas um reflexo da sociedade.

    1. O objetivo principal é distorcer e confunfir criancas e jovens. Todo bom psicologo sabe q o jovem, atualmente a partir de 9 anos passa por uma flutuação hormonal intensa e pode sim ocorrer em alguns casos crise de identidade sexual, porém no curso normal o jovem acaba se encontrando. O q estamos presenciando já a algum tempo é um circo de horrores onde jovens se exibem em redes sociais como “carituras” e o mais grave jovens q optam por procedimentos radicais e se arrependem. E mais grave ainda, antes dessa loucura as tais cirurgias só podiam ser realizadas após 25 anos exatamente qdo o cerebro está “pronto” e a mudança é necessaria para acompanhar o q se passa na mente de jovens. Hoje em dia a “mirdia” claro nao apresenta aqueles q foram “mutilados” e tiveram uma crise inicial de identidade transformada num transtorno q carregarao para toda a vida. Fora outros q para fazerem parte da “tchurma” se submetem até mesmo ao ridiculo. Ou os pais exercem sua autoridade ou toda uma geracao estará fatalmente perdida. Porque a intenção é abafar o natural por meio de exercitos de pervertidos. Pergunta é isso q você quer para o teu filho? Se não é passe a policiar o q ele assiste nas redes sociais.

  5. A Disney foi acusada por um grupo de funcionários dos Estúdios Pixar — propriedade da Disney — de “censurar pessoas LGBTQ+”. “Nós estamos sendo impedidos de criar personagens desse tipo”, informa trecho de uma “carta aberta” à sociedade e à comunidade artística dos Estados Unidos. , espera ai !, vcs só podem como devem criar seus proprios personagens e produzir os desenhos , filmes , arcar com as despesas , enfim produzir seus proprios filmes sem precisar dos studios disney , simples assim !

  6. Enquanto o Ocidente ficam discutindo o politicamente correto, a Rússia guerreia contra Ucrânia, apoiada pela China, que não estão nem aí para estes valores, e sim preocupados com o futuro. E nós do Ocidente cada vez mais decadentes. Triste realidade!

    1. Acho que filme para criança não precisa abordar temas relacionados à sexualidade ou racismo. Esses são, creio eu, temas que devem ser abordados em casa, pelos pais. Respeitar a preferencia das pessoas não exige que se imponha a exibição de comportamentos considerados próprios dessas pessoas.

  7. Um produto destinado as crianças, não deveria ter beijo gay ou hétero, ou ainda, qualquer insinuação de conteúdo sexual, por mais inocente que seja. Não é só uma questão moral, mas uma questão educacional e de formação de mentes. Os covardes, frente ao politicamente correto gritado pelas minorias, são sempre os mesmos grandes e ricos conglomerados. Mas o que me espanta de verdade, é o silencio da sociedade que é maioria esmagadora que não concorda com esse tipo de imposição ao publico infantil, mas que mesmo assim se calam.

  8. Não é apropriado nenhum tipo de ” pegação” em desenho infantil. Há muito que a Disney já se descaracterizou. Deveria mudar de nome e deixar o legado mantido . O problema é que o nome é quem vende filmes e não mais a competência dos que o fazem.

  9. As minorias lgbtjiftcyset+% , para se auto valorizarem , incluíram os negros na turma.
    Ora , isto não existe !!! Está fora de contexto !! Posso não concordar com ideologia de gêneros para crianças e não ter absolutamente nada contra negros !!!! Uma forçação de barra típica dos esquerdóides !!! Já acharam seu espaço na sociedade,mas isto não bastou! Querem que todos os aplaudam e se transformem em gays ! Aos gays verdadeiros , quê são gays simplesmente por opção sexual ,meu respeito e admiração !! Os gays lacradores vão a puta que o pariu !!!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.