Foto inédita registra buraco negro na Via Láctea

Imagem do Sagitário A* é a segunda evidência direta da existência do corpo cósmico
-Publicidade-
Imagem do buraco negro Sagitário A*, localizado na Via Láctea, capturado pela primeira vez | Foto: Reprodução/Divulgação
Imagem do buraco negro Sagitário A*, localizado na Via Láctea, capturado pela primeira vez | Foto: Reprodução/Divulgação

Um equipa de cientistas do projeto de pesquisa Event Horizon Telescope (EHT) divulgou nesta quinta-feira, 12, uma foto do Sagitário A*. Trata-se de um buraco negro nunca visto por olhos humanos que fica a pouco mais de 26 mil anos-luz da Terra, no centro da Via Láctea.

Os pesquisadores utilizaram uma rede mundial com 11 radiotelescópios — antenas que capturam ondas de rádio do espaço —, para conseguir as imagens, obtidas em primeira mão em 2017, mas só reveladas agora. Na imagem, o buraco negro aparece com o centro escuro envolto em um círculo laranja vibrante.

Por natureza, todos os buracos negros são invisíveis, mas suas beiradas projetam uma sombra que dá forma ao corpo cósmico. É essa sombra que os radiotelescópios capturam.

-Publicidade-

A operação internacional para o registro das imagens teve a participação de mais de 300 pesquisadores em 80 instituições. Enquanto a Terra gira, cada radiotelescópio obtém um panorama do mesmo buraco negro de ângulos diferentes.

Supercomputadores da Europa e dos EUA combinaram todas as imagens para se chegar a uma única foto.

A operação para encontrar o buraco negro

Há mais de dez anos, o projeto de cientistas EHT buscava conseguir imagens do Sagitário A*, no centro da Via Láctea, e de outro buraco negro no centro da galáxia M87 — a 55 milhões de anos-luz de distância da Terra.

De acordo com Feryal Özel, um dos astrofísicos do EHT, esses dois buracos negros são os únicos que estão a uma distância considerável da Terra para serem observados.

“Em 2000, identificamos esses dois buracos negros como alvos ideais para um experimento de imagem”, disse Özel em entrevista publicada hoje pelo Wall Street Journal.

Segundo Özel, capturar as imagens do Sagitário A* foi bem complicado. Isso porque o EHT precisava examinar com muito cuidado toda a Via Láctea, para assim encontrar o centro dela. “Levou alguns anos para entender a nossa galáxia nas imagens, para acertarmos na montagem”, disse.

Com as descobertas, os pesquisadores agora podem comparar e entender como os dois buracos negros crescem e consomem toda a matéria que está a sua volta.

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.