Franceses voltam às ruas contra passaporte sanitário

'Passe sanitário' é obrigatório em bares, restaurantes, transportes interurbanos e até hospitais
-Publicidade-
Protesto em Paris | Foto: Reprodução/Redes Sociais
Protesto em Paris | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Milhares de pessoas voltaram às ruas em várias cidades francesas neste sábado, 4, pelo oitavo fim de semana consecutivo, para protestar contra o passaporte sanitário imposto pelo governo de Emmanuel Macron. Em Paris, milhares marcharam da Torre Eiffel até a Esplanade dos Invalides, gritando “Liberdade!”.

O “passe sanitário” é obrigatório em bares, restaurantes, transportes interurbanos e até hospitais. Para entrar nestes locais, são considerados documentos válidos um certificado de vacinação completo, um teste de coronavírus negativo de menos de 72 horas, ou um certificado de recuperação de menos de seis meses.

Leia mais: “‘Celebração’ do Talibã deixa 17 mortos em Cabul”

-Publicidade-

Todos os sábados, desde julho, centenas de milhares de pessoas têm protestado na França contra o certificado. As manifestações são heterogêneas e reúnem contrários a imposições feitas pelo Estado, “coletes amarelos”, movimentos antivacina e opositores a Macron.

Segundo o Ministério do Interior, 141 mil pessoas se manifestaram em todo o país, cerca de 20 mil a menos que na semana passada. A polícia realizou 21 prisões e um policial ficou levemente ferido, de acordo com uma fonte ouvida pela agência France-Presse.

Vacina obrigatória

A vacinação passa a ser obrigatória para todas as pessoas maiores na Nova Caledônia, território francês no oceano Pacífico. De acordo com o governo, a medida é tomada para impedir o vírus de entrar e de circular. O arquipélago registrou apenas 136 casos e a covid-19 não causou nenhuma morte.

Com informações da RFI

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro