Governador de Província nega acordo para criar imposto sobre herança

A tributação, abolida na Argentina em 1976, voltou a ser discutida no país
-Publicidade-
O governador da Província de Neuquén, cidade mais importante da Patagônia, Omar Gutiérrez
O governador da Província de Neuquén, cidade mais importante da Patagônia, Omar Gutiérrez | Foto: Divulgação

O governador de Neuquén, cidade mais importante da Patagônia argentina, Omar Gutiérrez, afirmou nesta quarta-feira, 29, que a Província não deverá criar mais impostos, como a tributação sobre herança.

“Não vamos gerar mais pressão tributária na Província nem criar novos impostos, como o imposto sobre heranças e doações”, disse.

Ao participar nesta manhã de um ato de assinatura de convênios com o Conselho Federal de Investimentos, Gutiérrez disse que esse novo convênio tributário estabelece “parâmetros e variáveis máximas de diferentes níveis de pressão tributária”.

-Publicidade-

O governador assinou o novo Consenso Fiscal, mas afirmou que não vai adiantar nenhum aumento nas alíquotas nem criar o imposto sucessório e doações. O acordo prevê apenas limites máximos para a receita bruta, mas não os torna obrigatórios para as jurisdições.

“A Província cobra menos do que os máximos que este acordo tributário estabelece para a arrecadação de impostos provinciais”, explicou Gutiérrez.

“A Província pode assinar este acordo porque sua carga tributária está contida na pressão tributária máxima fixada”, afirmou.

Discussão para restabelecer o imposto

O governo da Argentina pretende restabelecer o imposto sobre herança no país. A proposta deve voltar à pauta em 2022.

A Argentina não tem o imposto sobre herança desde 1976. A tributação foi extinta pelo então ministro da Economia, José Martínez de Hoz.

“Estamos trabalhando com as Províncias há dois ou três meses, cada Província nos deu um retorno”, disse a secretária de Províncias do Ministério do Interior, Silvina Batakis, no domingo 26. “O único foro que não está assinando é da cidade autônoma de Buenos Aires, que não devolveu a proposta. E nessa proposta surge a ideia de analisar no próximo ano o imposto sobre a livre transmissão de bens, coloquialmente ‘herança’.”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.