‘Hackers’ norte-coreanos roubaram quase R$ 1,7 bi para pagar armas nucleares

É o que relata a Organização das Nações Unidas
-Publicidade-
Kim Jong-un é o líder máximo da Coreia do Norte
Kim Jong-un é o líder máximo da Coreia do Norte | Foto: Reprodução/Flickr

O exército de hackers da Coreia do Norte roubou centenas de milhões de dólares durante grande parte de 2020 para financiar os programas de mísseis nucleares e balísticos do país, em clara violação à lei internacional, de acordo com um relatório confidencial das Nações Unidas. O documento acusou o regime do líder Kim Jong-un de conduzir “operações contra instituições financeiras e casas de câmbio virtuais” para pagar por armas e sustentar a economia da Coreia do Norte. De acordo com o documento, um país não identificado, membro da ONU, afirmou que os hackers roubaram ativos virtuais no valor de US$ 316,4 milhões (cerca de R$ 1,69 bilhão) entre 2019 e novembro de 2020. A Coreia do Norte procura desenvolver há anos armas nucleares poderosas e mísseis avançados, apesar de seu imenso custo e do fato de que tal busca transformaria o país em um pária internacional, impedido pela ONU de conduzir atividades econômicas com outros países.

Leia também: “Morre ex-chefe do departamento de propaganda da Coreia do Norte”

Com informações da CNN

-Publicidade-
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.