Inflação na Alemanha atinge nível mais alto em 29 anos

Preços subiram 4,5% em outubro, segundo dados divulgados pelo Departamento Federal de Estatísticas (Destatis)
-Publicidade-
Angela Merkel é primeira-ministra da Alemanha
Angela Merkel é primeira-ministra da Alemanha | Foto: Reprodução/Flickr

Na Alemanha, o índice de preços ao consumidor atingiu o nível mais alto dos últimos 29 anos, informou o Departamento Federal de Estatísticas (Destatis) nesta segunda-feira, 29. A maior economia da Europa ainda sofre com a crise energética e com os gargalos na cadeia de abastecimento, causados especialmente pelas medidas restritivas impostas durante a pandemia.

A taxa anual de inflação acelerou pelo quinto mês consecutivo, com alta de 5,2% em novembro. A elevação ocorreu em razão do aumento dos preços da energia elétrica, que subiram 22% em relação ao mesmo período do ano passado. Em outubro, a inflação no país foi de 4,5%, enquanto a energia subiu 18,6%.

Além disso, a média dos preços está mais alta em razão do fim das políticas de reduções tributárias, adotadas pelo governo no ano passado para diminuir o impacto da crise sanitária. Agora, os consumidores estão pagando a conta.

-Publicidade-

Inflação na Alemanha

De acordo com o Banco Central Europeu (BCE), que considera a inflação um dos principais indicadores econômicos, a alta registrada em 2021 é apenas temporária. “Presumimos que a inflação tenha atingido seu ápice em novembro, com queda gradual no próximo ano”, declarou a executiva do BCE, Isabel Schnabel. “Nossa meta é chegar aos 2%.”

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.