Inflação na Argentina ultrapassa a da Venezuela

Índice de julho chegou a 7,4%
-Publicidade-
Alberto Fernández, o presidente da Argentina | Foto: Reprodução/Flickr
Alberto Fernández, o presidente da Argentina | Foto: Reprodução/Flickr

A inflação de julho na Argentina chegou a 7,4%, no maior índice para o mês em 30 anos. Com isso, o país alcançou a marca de 71% nos últimos 12 meses, contra 62% registrados na Venezuela.

Segundo economistas, a expectativa é que a inflação argentina pode fechar o ano acima dos 80%. Entre as principais medidas do presidente da Argentina, Alberto Fernández, para combater a inflação no país estão: controlar preços nos supermercados, limitar a quantidade de dólares em circulação e cobrar impostos sobre as exportações de produtos agrícolas.

Troca de ministros na Argentina

-Publicidade-

O presidente da Câmara dos Deputados, Sergio Massa, aliado de Cristina Kirchner, é o novo ministro da Economia da Argentina. Ele assumiu o cargo deixado por Silvina Batakis.

A dança das cadeiras ocorreu três semanas depois de Silvina, aliada de Cristina, assumir a Economia deixada pelo antecessor Martín Guzmán. Segundo a mídia local, ela teria pedido para deixar o ministério.

Ao tomar posse, Massa anunciou aumento nas tarifas de energia elétrica e gás, “especialmente para quem consome mais”. Ele também prometeu trocar funcionários do alto escalão de sua pasta, que agrega mais três ministério — Desenvolvimento Produtivo e Agricultura, Gado e Pesca e Relações com Órgãos Internacionais e de Crédito.

 

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Não foi por falta de aviso!
    BOLSONARO AVISOU BEM ANTES..
    Agora aguentem as tragédias do SOCIALISMO incompetente.
    “No cry for me Argentina”..

  2. Assistí a um documentário em vídeo, onde um conhecedor do assunto afirmou com toda a certeza que a situação da Argentina chegou a tal ponto de não retorno, irá piorar contínuamente e sem solução a não ser que se tomem iniciativas muito radicais com consequências sociais bem previsíveis mas mesmo assim, permanece cético.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.