-Publicidade-

Inflação na Venezuela fechou 2020 em quase 3.000%

É o que garante o Banco Central do país, alinhado com Maduro
Nicolás Maduro não tem conseguido fazer a Venezuela crescer
Nicolás Maduro não tem conseguido fazer a Venezuela crescer | Foto: Reprodução/Fotos Públicas

A Venezuela fechou 2020 com inflação acumulada de 2.959%, segundo dados divulgados ontem, quinta-feira 11, pelo Banco Central do país (BCV). A inflação reconhecida pelo BCV, de linha pró-governo, encontra-se abaixo das estimativas do antigo Parlamento da oposição eleito em 2015, que desde 2017 publicava o próprio índice de inflação devido ao atraso na publicação dos números oficiais. Em dezembro de 2020, fixou o índice de janeiro a novembro em 3.045%. O BCV informou ainda que a variação de preços, em meio a um ciclo hiperinflacionário, foi de 46,6% em janeiro, uma queda em relação a dezembro passado, que fechou em 77,5%. Os últimos dados oficiais atualizados mostram uma inflação acumulada entre janeiro e setembro de 844%. A Venezuela, atolada na pior crise de sua história recente e passando pelo sétimo ano consecutivo de recessão, fechou 2019 com inflação de 9.585%, segundo a entidade emissora. Paralelamente, o valor da moeda local — o bolívar — despencou, cenário em que o dólar ganhou espaço no país petroleiro, que sofre com a maior inflação do mundo.

Leia também: “Conversas com passarinhos e gotinhas milagrosas”, artigo de Augusto Nunes publicado na Edição 45 da Revista Oeste

Com informações do Estadão Conteúdo

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês