Revista Oeste - Eleições 2022

Invasão na Ucrânia: só um dos sete conflitos armados no mundo

Esquecidos pela mídia, guerras civis espalham morte e miséria por diversas regiões da Ásia e da África
-Publicidade-
Tanque de Guerra
Tanque de Guerra | Foto: German Federal Archive

A invasão da Ucrânia pela Rússia mobilizou o mundo inteiro e se tornou o foco da atenção da imprensa e das redes sociais. Infelizmente não é o único choque armado ocorrendo atualmente. Outros sete conflitos acontecem nas regiões da África e do Oriente Médio:

Etiópia: a guerra teve início em novembro de 2020, quando Abiy Ahmed decidiu tentar desmontar a Frente de Libertação do Povo de Tigré e já causou perdas imensas para os dois lados envolvidos. Os mortos se contam aos  milhares e a população sofre com a fome. O país vinha tendo um bom crescimento econômico e uma maior abertura para o resto do mundo mas o processo foi atrapalhado pelo novo conflito.

Iêmen: começou em 2014. A guerra civil se iniciou após embate de duas potências do Oriente Médio. De um lado, as forças do governo de Abd-Rabbu Mansour Hadi, apoiada por uma coalizão sunita liderada pela Arábia Saudita. Do outro lado, a milícia rebelde xiita Houthit, apoiada pelo Irã, que controla a capital Saana e partes do oeste do país. A ONU considera a guerra do Iêmen como a pior situação humanitária atualmente. Só no mês passado ocorreram 700 ataques aéreos no país. Durante esses 8 anos o combate já causou em torno de 230 mil mortes e cerca de 130 mil por causas indiretas como falta de recursos básicos. Mais de 8 mil crianças morreram diretamente por causa dos conflitos.

-Publicidade-

Mianmar: em 1 de fevereiro de 2021, o exército destituiu o governo civil, prendeu líderes políticos, bloqueou a internet e fechou os aeroportos para voos internacionais. O golpe causou uma guerra civil que já está durando mais de um ano entre os militares e grupos de civis. Os combates se espalharam por todo o país causando cerca de 12 mil morte, desde que começou. Os grupos que estão lutando contra os militares são chamados de PDF (People’s Defence Force, ou Força de Defesa do Povo) constituída em sua maioria por jovens.

Cidade de Aleppo, na Síria (Foto: reprodução Wikipedia)

Síria: O que começou com protestos contra o presidente Bashar al-Assad em 2011, virou uma guerra civil que dez anos depois, já deixou mais de 380 mil mortos, mais de 190 mil desaparecidos. Teve inicio por conta de denúncias de corrupção do governo, em março de 2011. Países como Estados Unidos, Reino Unido e França tomaram partido e apoiaram com armas, dinheiro e combatentes. As organizações jihadistas como o Estado Islâmico e a Al-Qaeda também se envolveram. A Rússia é virou a base do poder do ditador Assad.

Sudão do Sul: O país mais recente do mundo, foi oficializado como nação independente em 2011, após a separação com o Sudão. Está em uma guerra civil desde 2013 num quadro de violência étnica e instabilidade econômica. Metade da sua população de 12 milhões de habitantes está em situação de fome. Mais de dois milhões de pessoas fugiram do país.

Estado Islâmico na África: Depois da queda do Estado Islâmico no Oriente Médio em 2017, grupos de militantes islâmicos foram para África, onde a maioria dos países tem governos frágeis e não tem estrutura militar para combatê-los. Os grupos jihadistas tentam controlar diversas regiões de vários países como Mali, Congo, Moçambique e Niger. Em Moçambique, foram enviadas tropas para a cidade de Palma, no norte do país, para tentar conter o avanço desses grupos extremistas islâmicos. 

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.