-Publicidade-

Investida de Trump reduz poder militar da China

Presidente dos Estados Unidos corta investimentos norte-americanos de empresas ligadas ao Partido Comunista
O presidente dos EUA, Donald Trump. Foto: GAGE SKIDMORE/FLICKR
O presidente dos EUA, Donald Trump. Foto: GAGE SKIDMORE/FLICKR

Presidente dos Estados Unidos corta investimentos norte-americanos de empresas ligadas ao Partido Comunista

investida de trump
Para continuar à frente da Casa Branca, o republicano tenta provar que houve fraude na eleição
Foto: Gage Skidmore/Flickr

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou um decreto que proíbe aportes norte-americanos a empresas chinesas. Os alvos são companhias ligadas às forças militares a serviço do Partido Comunista. A medida reforça as pressões sobre o governo de Xi Jinping, que tem demonstrado simpatia por Joe Biden, considerado pela mídia o vencedor das eleições dos EUA. O decreto pode impactar algumas das maiores empresas chinesas, como China Telecom, China Mobile e a fabricante de equipamentos de vigilância Hikvision. Trump quer dissuadir firmas de investimentos, fundos de pensão e outros investidores americanos de negociar ações de 31 empresas chinesas que o Departamento de Defesa considera hostis.

A partir de 11 de janeiro, está proibida qualquer transação de investidores dos EUA com ações dessas empresas. Também a nova política da Casa Branca proíbe os norte-americanos de comprar e vender valores mobiliários de uma empresa chinesa 60 dias depois de ela ter sido considerada uma empresa militar chinesa. Os investidores têm até novembro de 2021 para se desfazerem de investimentos que contenham algum desses ativos chineses. “A China está cada vez mais explorando o capital dos EUA para obter recursos e possibilitar o desenvolvimento de seu poder militar, sua inteligência e outros aparatos de segurança”, informa trecho do decreto de Trump, divulgado à imprensa na quinta-feira 12.

Leia também: “Papa Francisco abençoa Biden e o parabeniza pela ‘vitória’”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

  1. Agora outras nações devem fazer o mesmo, eles estão tomando o nosso pais, e interferindo na politica nacional, com a compra de políticos com a mesma ideologia, assim aprovam leis q beneficiam a china. Agora o mundo já descobriu o q os chineses fazem, e não é mais teoria da conspiração. Não vai me surpreender se por trás do Sleeping Giants estiver a fundação de George Soros e alguma ONG ligada ao PCCh, até a ONU está escancarando a sua ideologia política ao conceder a China, Rússia e Cuba cadeiras no Conselho de Direitos Humanos, logo eles q são ditaduras. Os países amantes da liberdade deverão se unir e começar a romper ligações com esses países, sob pena de no futuro condenar suas populações ao regime ditatorial.

  2. Parabéns a Donald Trump! Um dos pouquíssmos a ter coragem de enfrentar Xi Jinping, o ditador chinês, sempre endeusado pela esquerda. A China declarou guerra ao mundo com essa fraudemia e seu vírus de laboratório. Nessa guerra, faz contratos nocivos aos países, cooptando políticos vigaristas e traidores de seus países. Não podemos dar trégua contra os comunistas, o globalismo, e tudo o que esse lixo representa de ameaça ao mundo.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês