Japão sobe o tom com o Partido Comunista da China

Taiwan está no centro da crise diplomática
-Publicidade-
O secretário-geral do PCC, Xi Jinping
O secretário-geral do PCC, Xi Jinping | Foto: Divulgação/Creative Commons

O governo do primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, assumiu postura mais assertiva contra o Partido Comunista da China (PCC). No centro do embate está Taiwan, sob cerco do PCC. Kishida reafirmou ainda relação estreita com os Estados Unidos para que se possa preservar a democracia da ilha.

Recentemente, Taiwan registrou 148 aviões da Força Aérea chinesa nas partes sul e sudoeste de sua zona de defesa aérea, e líderes de seu governo dizem que o arquipélago precisa estar alerta às atividades militares “excessivas” do PCC. O chanceler do Japão, Toshimitsu Motegi, disse que avalia a situação.

“Esperamos pesar as várias hipóteses possíveis que podem surgir”, declarou, em entrevista coletiva, na terça-feira 5. “Dessa forma, estudaremos quais opções temos, assim como os preparativos de que precisamos.” Depois de ocupar Hong Kong através de leis e do Parlamento, Taiwan se tornou alvo do PCC.

-Publicidade-

Leia também: “O jogo do gigante”, reportagem publicada na Edição 58 da Revista Oeste

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.