-Publicidade-

Na Argentina, 400 doses da vacina russa são descartadas

Governo suspeita que houve sabotagem
No mês passado, o país recebeu 300 mil doses da Sputnik V
No mês passado, o país recebeu 300 mil doses da Sputnik V | Foto: Adriana Toffetti/Estadão Conteúdo

O governo argentino descartou 400 doses da vacina experimental russa contra a covid-19, a Sputnik V. As unidades ficaram fora da refrigeração necessária. Técnicos do Ministério da Saúde desconfiam de uma ação intencional para sabotar o processo de imunização no país, que teve início em 29 de dezembro. “Na madrugada, foi registrada uma sabotagem no Hospital Provincial de Oncologia Luciano Fortabat, da cidade de Olavarría, devido à perda da cadeia de frio de 400 doses da vacina Sputnik V por fatos de extrema gravidade”, informou a pasta, na segunda-feira 4.

O caso ocorreu no Hospital Provincial de Oncologia Luciano Fortabat, da cidade de Olavarría, a 350 quilômetros de Buenos Aires. O diretor da Região Sanitária IX, com jurisdição em Olavarría, declarou que a transmissão da câmera de segurança que registra imagens do freezer da vacina foi interrompida. No mês passado, a Argentina recebeu 300 mil doses da Sputnik V. O acordo com a Rússia prevê o envio de outros 19,7 milhões de doses ao país de janeiro a fevereiro, com opção de compra de mais 5 milhões. Também a “Anvisa da Argentina” aprovou a vacina da Oxford.

Leia também: “Na Argentina, vacina russa provoca 317 ‘eventos adversos’”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês