-Publicidade-

Na França, milhares protestam contra governo Macron

Presidente defende lei polêmica que viola direitos e atenta contra a imprensa
Foto: Divulgação/Twitter
Foto: Divulgação/Twitter | Foto: Divulgação/Twitter

Presidente defende lei polêmica que viola direitos e atenta contra a imprensa

na frança
Gestão de esquerda amplia autoritarismo | Foto: Divulgação/Twitter

Uma multidão tomou as ruas de Paris neste sábado, 28, para protestar contra a Lei de Segurança Global defendida pelo presidente Emmanuel Macron. Aprovada pela Assembleia Nacional sob a justificativa de combate ao terrorismo, a medida enquadra a divulgação de imagens da polícia, o uso de drones, assim como fotos das forças de segurança feitas pelos cidadãos com seus celulares. Contudo, na prática, a lei protege a polícia dos cidadãos e dos jornalistas. A partir de agora, será possível punir pessoas com sanções penais, caso agentes de segurança decidam que estão sendo postos em risco por elas. Críticos consideram a nova política uma mordaça e violação de direitos da população.

O Artigo 24 da lei, por exemplo, estabelece que as pessoas estão sujeitas a um ano de prisão e a € 45 mil de multa (R$ 300 mil) se divulgarem “a imagem do rosto ou de qualquer outro elemento de identificação de um policial ou de um gendarme em ação de serviço”. Ou seja: os repórteres fotográficos, ou quem mais estiver com a câmera do seu celular ativada, ficam legalmente proibidos de registrar imagens de policiais agredindo manifestantes, ou prendendo suspeitos de não observância do distanciamento social. Além disso, o dispositivo exige que os veículos de comunicação apaguem o rosto de policiais de qualquer foto ou vídeo que porventura vierem a obter e a publicar.

Quer saber mais sobre a Lei de Segurança Global? Leia “Um caso de amor com a tirania”, artigo de J.R. Guzzo publicado na edição n° 36 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

7 comentários

  1. Espero que os jornalistas e meios de comunicação, leiam essa matéria com muita atenção, pois esse é o rumo que o mundo está tomando, por trás do politicamente correto, das divisões da sociedade, da falsa proteção ao meio ambiente, o que na verdade é escondido do público é um desejo enorme controlar a população, de subjulga-la, de impor limites, mordaças, impor sua obediência ao que eles acham que é verdade. Não pensem que o Brasil está de fora disso, é um movimento mundial, e em muitos países que eram livres, hoje estão vivendo sobre essa tirania, é só olhar para Argentina aqui ao lado. Mas o pior disso, é ver nossa imprensa hoje apoiando o mesmo projeto, como se no futuro estivessem livres disso. A história nos conta que os grandes ditadores chegaram ao poder através da propaganda e do controle da imprensa local, bem, vemos hoje a imprensa assim como políticos comprados por ditaduras externas e lentamente implantando a sua ideologia de “dividir para conquistar” aqui, debaixo de nossos narizes, com o apoio justamente de quem deveria defender o povo, ao informa-lo do perigo que corre, ao invés disso, promovem a instabilidade, e divulgam notícias tendenciosas, para desestabilizar o país. Lembrem se tudo acontecer do jeito que vocês querem, assim como na França vocês serão os primeiros a serem calados.

  2. Isso é mais do que o óbvio, depois de instalada N.O.M. essa imprensa só tem uma saída, tornar-se oficial, uma porta-voz do governos totalitários que se instalarão nos diversos países e nada mais. Vejam o exemplo da União Soviética (Pravda, Izvestia) e Cuba (Granma). É preciso de mais exemplos? Agora, essa França está virando um favelão, um lixo, como é a maioria dos países islâmicos, arriscaria dizer que talvez entrou num caminho sem volta.

  3. Imprensa perseguida na França? Eles têm q se fuder MESMO pq todos bateram palma para o Macron, o lambe saco dos Rothschild e sua agenda do capeta, anticristianismo, antinaçao e antiocidente. Conheci a França em 2014 e 2018 e a deterioração é gritante. Eles viraram a sarjeta ideológica da Europa. Os franceses são uns frouxos e Bolsonaro está certo! É isso q acontece quando o país se torna politicamente correto, ele vira um país de MARICAS.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês