OMS não descarta origem do coronavírus em laboratório

"Todas as hipóteses permanecem sobre a mesa", afirma o diretor-geral da entidade
-Publicidade-
O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom
O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom | Foto: Divulgação/OMS

A hipótese do coronavírus SARS-CoV-2 ter surgido em laboratório ainda não foi descartada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O aviso foi feito pelo diretor-geral da entidade internacional, Tedros Adhanom, na terça-feira 30 de março. De acordo com o dirigente: “mais dados serão necessários para chegar a conclusões mais robustas”.

“Embora a equipe tenha concluído que um vazamento de laboratório é a hipótese menos provável, isso requer uma investigação mais aprofundada, potencialmente com missões adicionais envolvendo especialistas especializados, que estou pronto para implantar”, disse Adhanom sobre o relatório apresentado pela missão de cientistas enviados pela OMS à China para investigar as origens do novo vírus. “Deixe-me dizer claramente que, no que diz respeito à OMS, todas as hipóteses permanecem sobre a mesa.”

-Publicidade-

O grupo — que esteve na China entre 14 de janeiro a 10 de fevereiro de 2021 — revelou que o primeiro caso detectado da doença começou a apresentar os sintomas no dia 8 de dezembro de 2019, mas não conseguiu chegar a uma conclusão a respeito da origem do patógeno.

Leia também: “14 países repudiam influência da China em relatório da OMS”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.