ONU recua de decisão que exigia passaporte sanitário para a Assembleia Geral

O presidente Jair Bolsonaro fará o discurso de abertura
-Publicidade-
Sede da ONU, em Nova Iorque | Foto: Rick Bajornas
Sede da ONU, em Nova Iorque | Foto: Rick Bajornas

A Organização das Nações Unidas (ONU) desistiu nesta sexta-feira, 17, de exigir dos participantes da Assembleia Geral do organismo a apresentação do passaporte sanitário da covid-19. O recuo foi informado aos 193 Estados-membros em uma carta assinada pelo presidente do colegiado, Abdulla Shahid, informou a agência de notícias Reuters, que teve acesso ao documento.

Shahid havia seguido a recomendação da cidade de Nova Iorque, onde fica a sede da ONU. O governo local defende o comprovante de imunização. Apesar de não ter tomado a vacina, o presidente Jair Bolsonaro garantiu que fará o discurso de abertura da Assembleia Geral. É tradição o chefe do Executivo do Brasil fazer as honras nos inícios dos trabalhos do organismo internacional.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.