Papa critica decisão turca de converter a Hagia Sophia em mesquita

O papa Francisco afirmou que ficou "dolorido" com a decisão tomada pelo governo da Turquia de converter a Hagia Sophia em uma mesquita
-Publicidade-
A Hagia Sophia | Foto: Roweromaniak/Wikimedia
A Hagia Sophia | Foto: Roweromaniak/Wikimedia | Papa Hagia Sophia

Decisão do presidente da Turquia causou reações na comunidade internacional; primeiras orações foram marcadas para o dia 24

 Hagia Sophia - papa
A Hagia Sophia | Foto: Roweromaniak/Wikimedia

O papa Francisco afirmou que ficou “pesaroso” com a decisão tomada pelo governo da Turquia de converter a Hagia Sophia em uma mesquita. A fala do líder da Igreja Católica foi feita em uma missa no Vaticano, com o papa ressaltando que seus “pensamentos estão em Istambul”.

-Publicidade-

Construída no ano 537, a Hagia Sophia, que pode ser traduzida como “Santa Sabedoria”, foi o principal templo da Igreja Ortodoxa por quase mil anos. Em 1453, o sultão otomano Mehmed II conquistou a cidade de Constantinopla, então capital do Império Bizantino, e transformou o centro da fé ortodoxa em uma mesquita.

A Hagia Sophia permaneceu como mesquita até 1934, quando, por decisão do gabinete da Turquia, foi transformada em museu, uma resolução que diminuiu a tensão entre muçulmanos e a Igreja Ortodoxa.

Como informado por Oeste, a mais alta corte do país, que está aparelhada pelo presidente Recep Tayyip Erdogan, anulou a decisão de 1934. Há muito tempo Erdogan defendia a ideia de que a Hagia Sophia voltasse a ser uma mesquita.

O presidente já divulgou que as primeiras orações na mesquita restaurada vão acontecer em 24 de junho, informa a televisão britânica BBC.

Críticas internacionais

Além da manifestação do papa, a resolução turca de transformar a Hagia Sophia em mesquita sofreu igualmente críticas em todo o mundo. O Conselho Mundial das Igrejas, que representa mais de 30 igrejas cristãs, pediu que Erdogan reverta sua decisão.

A Igreja Ortodoxa Russa, a maior denominação da Igreja Ortodoxa no mundo, expressou decepção com a decisão da Turquia e destacou que sua opinião deveria ser levada em conta na administração da Hagia Sophia.

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) também criticou a decisão turca, afirmando que a Hagia Sophia é um patrimônio da humanidade. Para o órgão da ONU, a Turquia indiscutivelmente desrespeita compromissos assumidos ao retirar o status de museu do prédio histórico.

O governo da Grécia, com o qual a Turquia mantém disputas fronteiriças e uma relação tensa, também teceu críticas. Cerca de 90% dos gregos são membros da Igreja Ortodoxa. Uma parte da Igreja em território grego é administrada pelo Patriarcado de Constantinopla, que fica em Istambul.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Sta Sofia ñ e´so um predio bonito e interessante. Para quem nasceu a sombra do Duomo de Milão ( e para milhões de Cristãos) ,onde Santo Ambrosio foi mestre de Santo Agostinho, cidade onde foi redigido o Edito de Constantino( tbm conhecido como EDITO da TOLERANCIA,em 313) – o mesmo Constantino que pediu que se costruisse a Basilica em Costantinopla – a ¨conversão dela em Mesquita ñ e´aceitavel. E´a demonstração que o sonho de Erdogan e´ a restauração do Califado. Ontem o Sr.Bergoglio quis apagar definitivamente o legado de Bento XVI pronunciado em Ratisbona em 2007. Timidas palavras pronunciadas no Angelus sem prestar a devida defesa dos valores Cristãos.
    Atitude de um peronista a serviço da globalização nihilista,mercadista e relativista.

  2. Estive na Hagia Sophia em 4/2019 e é uma prédio muito bonito e interessante. Estava, e creio que ainda está, em restauração. Não creio que essa decisão vá impedir que quem não é islâmico entre no prédio, apenas limitar. Não sou islâmico e entrei em várias mesquitas em Istambul.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.