Para vacinados com CoronaVac, França exige dose reforço da Pfizer ou Moderna

Vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Sinopharm, também da China, foi liberada nas mesmas condições
-Publicidade-
No Brasil, a CoronaVac é envasada pelo Instituto Butantan
No Brasil, a CoronaVac é envasada pelo Instituto Butantan | Foto: Willian Moreira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Turistas vacinados com a chinesa CoronaVac poderão entrar na França depois de tomar “uma dose complementar de um imunizante de RNA mensageiro”. A determinação consta em um decreto publicado no país na quinta-feira 23. O viajante deve ter acesso ao reforço pelo menos sete dias antes do embarque. Os produtos da Pfizer e da Moderna possuem essa tecnologia.

A aplicação extra tem de ser feita, no mínimo, “depois de quatro semanas da última injeção”. Caso o viajante tenha recebido apenas uma dose da CoronaVac, precisará tomar duas doses do outro imunizante.

A vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Sinopharm, também da China, foi liberada nas mesmas condições.

-Publicidade-

Leia também: “CoronaVac: Doria se reúne com cônsul para saber se vacinados poderão entrar nos EUA”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.