Polícia de Hong Kong persegue manifestantes no Dia das Mães

Pessoas pediam independência da ilha e a saída da líder Carrie Lam, apoiada por Pequim
-Publicidade-
Foto: Reprodução/Rede Social
Foto: Reprodução/Rede Social

Pessoas pediam independência da ilha e a saída da líder Carrie Lam, apoiada por Pequim

Foto: Reprodução/Rede Social
-Publicidade-

No Dia das Mães, a polícia de choque de Hong Kong, território semiautônomo da China, perseguiu manifestantes pró-democracia por shoppings neste domingo, 10, quando eles faziam atos pedindo a independência da ilha e a saída da impopular líder, Carrie Lam.

No ano passado, a cidade enfrentou, por sete meses seguidos, protestos pró-democracia, muitas vezes violentos, com milhões de pessoas indo às ruas. Prisões em massa e a pandemia de coronavírus deram início a um período de calma forçada, como registra a agência France-Presse.

Nos últimos dias, pequenos protestos “instantâneos” têm sido registrados. As manifestações aconteceram em pelo menos oito shoppings durante a tarde deste domingo, levando a polícia de choque a entrar e dispersar multidões de ativistas e compradores.

As transmissões ao vivo em redes sociais também mostraram que a polícia está emitindo multas para aqueles que supostamente violam as medidas para conter a propagação do vírus chinês, que proíbem reuniões públicas com mais de oito pessoas. Segundo a AFP, pelo menos três prisões foram feitas.

Pessoas nas redes sociais compartilharam vídeos sobre a atuação policial.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.