Polônia restringe o aborto, e feministas bloqueiam cidades

Igrejas católicas foram atacadas
-Publicidade-
Foto: Divulgação/Twitter
Foto: Divulgação/Twitter | Foto: Divulgação/Twitter

Igrejas católicas foram atacadas

polônia
“É guerra!”, informa um dos cartazes | Foto: Divulgação/Twitter

Depois de o “STF da Polônia” caracterizar como inconstitucional o aborto de fetos com má-formação, militantes e feministas bloquearam as vias das principais cidades daquele país. A segunda-feira 26 marcou o quinto dia de protestos. No domingo, igrejas católicas foram atacadas. Em Varsóvia, os manifestantes, em sua maioria mulheres jovens, paralisaram o tráfego. As participantes carregavam cartazes com mensagens como “O inferno das mulheres”, “As mãos estão manchadas de sangue”, “Queremos escolher” ou “É guerra!”. O movimento abrangeu cerca de 50 cidades do país. Com a nova orientação do Tribunal Constitucional, o aborto só será permitido na Polônia em casos de estupro, incesto ou ameaça à saúde e à vida da mãe.

-Publicidade-

Leia também: “Feminismo: o novo machismo”, artigo publicado na edição n° 16 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.