Possível calote da Evergrande faz mercado internacional desabar

Bolsa de valores brasileira registrou queda de 2,33%
-Publicidade-
Temor de calote da Evergrande fez o mercado internacional desabar
Temor de calote da Evergrande fez o mercado internacional desabar | Foto: Reprodução/Pixabay

O possível calote do gigante do setor imobiliário chinês Evergrande causou rebuliço nesta segunda-feira, 20, nos índices de todo o mundo.

A bolsa de valores brasileira, por exemplo, registrou tombo de 2,33%, chegando aos 108.843,74 pontos, o menor nível desde 23 de novembro de 2020.

Em Nova York, o índice Dow Jones caiu 1,78%, enquanto o S&P 500 e a Nasdaq desvalorizaram-se em 1,78% e 2,40%, respectivamente.

-Publicidade-

Na Europa, a Bolsa de Londres cedeu 0,79%. Frankfurt, por sua vez, perdeu 2,31% de seu valor, ao passo que Paris caiu 1,74%.

Em Hong Kong, o mercado registrou queda de 3,3%. Os mercados acionários da China, Japão, Coreia do Sul e Taiwan ainda não entraram em operação em virtude de feriados.

Leia mais: “Temor de calote da Evergrande faz empresário perder US$ 1 bi”

Petróleo e commodities também sofrem

O risco de crash no setor de construção chinês também afetou o preço do petróleo e das commodities.

Em Nova York, o WTI (produzido no West Texas) caiu 2,34%, chegando a US$ 70,14 o barril, enquanto o Brent (produzido no Mar do Norte, na Europa) cedeu 1,88%, atingindo US$ 73,92 o barril em Londres.

O minério de ferro registrou nova queda, de quase 9%, chegando a US$ 92,98 por tonelada na China. Em 8 de setembro, o minério iniciou a série negativa que se agravaria a partir do dia 16 deste mês, quando cedeu 8%.

Leia também: “Do setor imobiliário ao futebol: quem é a Evergrande, a empresa que deixou investidores em pânico”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.