Presidente da Argentina estuda volta do toque de recolher

Mesmo sob o lockdown mais severo do mundo, o país registrou aumento de casos de infecção e mortes por covid-19
-Publicidade-
De esquerda, Alberto Fernández aposta no isolamento social
De esquerda, Alberto Fernández aposta no isolamento social | Foto: Reprodução/Flickr

Nos próximos dias, a circulação de pessoas na Argentina deverá ser limitada mais uma vez. O presidente do país, Alberto Fernández, avalia impôr um toque de recolher noturno, informou na terça-feira 6 o jornal Clarín. Além disso, haverá a restrição do uso do transporte público e o fechamento de bares e restaurantes. Mesmo depois de ter o lockdown mais longo do mundo, a Argentina registra aumentos de casos de infecções por coronavírus e mortes devido à covid-19. Em 24 horas, o Ministério da Saúde contabilizou 20,8 mil novas pessoas contaminadas. Em números absolutos, são 2,5 milhões de infectados e 56 mil mortos.

Leia também: “O alerta do tango argentino”, artigo de Rodrigo Constantino publicado na Edição 53 da Revista Oeste

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

  1. Esse comunista miserável tem q arrasar a Argentina. Para isso, estende-se essa canalhice de lockdown até o país cair em nocaute. Está é a única coisa q podemos esperar dos comunoglobalistas.

  2. Que os brasileiros assistam o que se passa na Argentina e vejam o que é dar passo para trás acreditando em comunistas ladrões, adeptos que são de terra arrasada para depois distribuir uma bolsinha, até acabar o dindin, quando aí, pobres dos cachorros e gatos.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.