-Publicidade-

Primeiro-ministro do Japão renuncia por problemas de saúde

Shinzo Abe está no poder desde 2012 e abre crise no governo do país asiático, que não tem um sucessor pronto para assumir.
Primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe renuncia por problemas de saúde | Foto: Shizuo Kambayashi/Associated Press/Estadão Conteúdo
Primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe renuncia por problemas de saúde | Foto: Shizuo Kambayashi/Associated Press/Estadão Conteúdo | shinzo abe, renúncio, primeiro-ministro-japão, problemas de saúde, colite ulcerosa

Shinzo Abe está no poder desde 2012 e abre crise no governo do país asiático, que não tem um sucessor pronto para assumir

shinzo abe, renúncio, primeiro-ministro-japão, problemas de saúde, colite ulcerosa
Primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe renuncia por problemas de saúde
Foto: Shizuo Kambayashi/Associated Press/Estadão Conteúdo

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, anunciou sua renúncia nesta sexta-feira, 28, por problemas de saúde.

Aos 65 anos, o político enfrenta pela segunda vez uma colite ulcerosa, inflamação intestinal crônica que já o fez deixar o poder uma vez, em 2007.

“Vou continuar cumprindo as minhas funções até que um novo primeiro-ministro seja nomeado”, garantiu Abe. O indicado ao cargo deve ser o próximo eleito a presidente do Partido Liberal-Democrata, do qual o premiê faz parte.

No entanto, a saída dele abre uma crise política no país, visto que não há um sucessor que realmente esteja pronto para assumir o cargo. Dois nomes são cogitados até o momento: o porta-voz do governo, Yoshihide Suga, e o ministro das Finanças, Taro Aso. “Todos os nomes que circulam fazem referência a pessoas muito capacitadas”, segundo o atual primeiro-ministro.

Abe também disse estar “profundamente triste” em deixar a cadeira um ano antes do previsto e durante a pandemia.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês