Primeiro-ministro do Sudão é sequestrado por militares

Abdalla Hamdok foi levado para um local desconhecido
-Publicidade-
Abdallah Hamdok foi detido por militares
Abdallah Hamdok foi detido por militares | Foto: Reprodução/Flickr

O primeiro-ministro do Sudão, Abdallah Hamdok, foi sequestrado por um grupo militar na manhã desta segunda-feira, 25. De acordo com a emissora de TV Al-Arabiya News, Hamdok estava em casa quando foi detido. O político foi levado para um local desconhecido depois de se recusar a emitir uma declaração em apoio a um golpe militar.

Outros integrantes do gabinete e do partido do primeiro-ministro sudanês também foram encurralados. Segundo o Ministério da Informação, forças militares invadiram a sede de uma emissora de TV na cidade de Omdurman, na região metropolitana de Cartum, capital do país, e prenderam os funcionários.

Conforme noticiou a  Al-Arabiya News, o Aeroporto Internacional de Cartum foi fechado, e os voos internacionais estão suspensos. Para dificultar a comunicação entre os civis, a internet na capital do Sudão foi cortada.

-Publicidade-

Reação

A Associação de Profissionais do Sudão (SPA), principal coalizão de ativistas no levante contra o ex-presidente Omar al-Bashir, que governou o Sudão entre 1989 e 2019, convocou uma greve geral e desobediência civil contra os militares.

“Convocamos as massas para que saiam às ruas e as ocupem, fechem todas as estradas com barricadas, façam uma greve geral, não cooperem com os golpistas e usem a desobediência civil para enfrentá-los”, disse a SPA em comunicado nas redes sociais.

O representante da Organização das Nações Unidas (ONU) Volker Perthes afirmou que a entidade está “profundamente preocupada com os relatos de um golpe em curso no Sudão”.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.