Putin anuncia controle da cidade portuária de Mariupol

Presidente russo ordenou que as forças façam um cerco à fábrica de aço Azovstal, último local sob o controle ucraniano
-Publicidade-
Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu | Foto: Reprodução/Kremlin
Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu | Foto: Reprodução/Kremlin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou nesta quinta-feira, 21, que as tropas do país tomaram “com sucesso” o controle de Mariupol, a décima maior cidade da Ucrânia. O mandatário, que chama a invasão ao território ucraniano de “operação especial”, classificou a ação de “libertação de Mariupol”.

Putin ordenou, no entanto, que as forças russas parem de tentar invadir a fábrica de aço Azovstal, que ainda está sob controle das forças ucranianas. A estratégia do Kremlin é cercar o complexo onde ainda estão cerca de 2 mil combatentes ucranianos. Trata-se de uma das maiores usinas metalúrgicas da Europa.

-Publicidade-

O presidente russo disse a seu ministro da Defesa, Sergei Shoigu, que o complexo deveria ficar isolado e aqueles que estão no local deveriam mais uma vez ter a chance de se render em troca de suas vidas e de um “tratamento digno”. Putin disse que um ataque à usina “custaria muitas vidas”, já que o lugar possui várias galerias subterrâneas.

“É preciso pensar na saúde dos nossos soldados e oficiais, não devemos penetrar nas catacumbas e rastejar no subsolo através dessas instalações industriais. A ideia é bloquear toda a área para que nem uma mosca consiga passar”, acrescentou.

Centenas de civis, sem água e comida, também estão abrigados em Azovstal, o último reduto sob controle da Ucrânia na cidade. Um conselheiro da Presidência ucraniana propôs ontem a organização de uma “sessão especial de negociações para “salvar” combatentes e civis.

Os soldados ucranianos pediram à comunidade internacional “garantias de segurança”, para tentar deixar o local. De acordo com a primeira-ministra ucraniana, Iryna Verechtchouk, quatro ônibus com civis deixaram o Porto de Mariupol nesta manhã.

Depois, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse ser “questionável” se Putin, controla Mariupol. “Ainda não há evidências de que Mariupol esteja completamente caída”. O democrata também pediu a Putin que permita a ajuda humanitária na Ucrânia para permitir que aqueles presos dentro da siderúrgica possam sair.

“Nossos defensores continuam firmes”

Mariupol é estratégica, porque, de acordo com Moscou, permite a “junção” entre a Crimeia, anexada pela Rússia em 2014, e as regiões separatistas pró-russas de Donbass, no leste da Ucrânia, onde o conflito se concentra atualmente.

Oleksiy Arestovych, assessor presidencial ucraniano, disse que a Rússia só decidiu bloquear a siderúrgica Azovstal porque não pode tomá-la à força. “Eles fisicamente não podem tomar Azovstal, eles entenderam isso, sofreram grandes perdas lá. Nossos defensores continuam firmes.”

“Também pode ser explicado pelo fato de terem deslocado parte de suas forças [de Mariupol] para o norte, a fim de reforçar as tropas que tentam cumprir seu objetivo principal: avançar para os limites administrativos das regiões de Donetsk e Luhansk”, destacou.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. Eles acham que é melhor cercar a siderúrgica e deixar que os renitentes ou morram de fome e sede ou se entreguem sem resistência, não é por compaixão alguma é para preservar as instalações da siderúrgica para futuras utilizações. É só uma questão de inteligência. Uma invasão, fatalmente iria destruir as instalações da indústria, como diz o texto, uma das maiores da Europa.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.