Reforço da Pfizer aumenta em 20 vezes os anticorpos em vacinados com a Coronavac, mostra estudo

Pesquisa teve início em março e vai acompanhar os participantes por dois anos, com amostras de sangue periódicas
-Publicidade-
Vacina da farmacêutica Pfizer | Foto: Myke Sena/ MS
Vacina da farmacêutica Pfizer | Foto: Myke Sena/ MS

Resultados preliminares de um estudo desenvolvido no Uruguai mostram que o reforço com Pfizer, após duas doses de Coronavac, aumenta em 20 vezes o nível de anticorpos contra o coronavírus. A pesquisa teve início em março e vai acompanhar os participantes por dois anos, com amostras de sangue periódicas.

A investigação conta com cerca de 200 voluntários do Instituto Pasteur, um dos responsáveis pelo estudo junto com a Universidade da República, sendo que 53 deles tomaram as duas doses de Coronavac e o reforço da Pfizer.

Leia mais: “Pandemia de covid-19 pode fazer com que evasão escolar beire os 50% no Brasil”

-Publicidade-

Cada participante já teve quatro amostras analisadas: uma colhida antes da imunização; a segunda, 18 dias após a cobertura vacinal completa; a terceira, 80 dias após a segunda dose; e a última, após o reforço com Pfizer.

  • primeira coleta: nenhum dos participantes apresentou anticorpos específicos contra o coronavírus, pois nenhum deles havia contraído o vírus
  • segunda coleta: 100% apresentaram anticorpos antivirais específicos, em níveis variados
  • terceira coleta: uma diminuição geral de anticorpos foi observada
  • quarta coleta: após a dose de reforço, verificou-se que todos os participantes tiveram um aumento no nível de anticorpos em média 20 vezes maior do que o observado na segunda coleta

“São resultados preliminares, em uma população particular”, ressaltou na sexta-feira 24 o pesquisador Sergio Bianchi, que participa do estudo.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. É mesmo, Marangoni? Acho que você deveria consultar o governo e as autoridades científicas de Israel.
    País que mais vacinou no mundo assiste ao crescimento nunca antes visto nos novos casos de Covid. 85 a 90% da internações são de pessoas que tomaram as duas doses (Pfizer). A dose de reforço (ou terceira dose) foi inciada em 30/07. Isso nada mais é do que a admissão pelas autoridades de saúde israelenses que as vacinas originais não cumprem sua missão protetora. Além disso, os números de Israel mostram que as pessoas vacinadas tem 27 vezes mais probabilidade de contrair Covid sintomático do que aquelas que adquiriram anticorpos naturais por infecção.
    Artigo original em LewRockwell.com
    Recognizing the Obvious: Hard Data from Israel Reveals Vaccine Failure.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.