Reino Unido aprova pílula anticovid da Pfizer

De acordo com a agência reguladora britânica, a Paxlovid deve ser utilizada em até cinco dias após o início dos sintomas
-Publicidade-
A Paxlovid está liberada no Reino Unido
A Paxlovid está liberada no Reino Unido | Foto: Reprodução/Pixabay

O Reino Unido aprovou ontem, sexta-feira 31, o uso do medicamento antiviral contra a covid-19 produzido pela Pfizer. Trata-se da Paxlovid, uma pílula destinada a adultos com infecção leve ou moderada e que tenham ao menos um fator de risco de agravamento da doença causada pelo coronavírus.

De acordo com a Agência Reguladora de Produtos de Saúde e Medicamentos (MHRA), a Paxlovid deve ser utilizada o mais cedo possível, no prazo de cinco dias depois do início dos sintomas. É mais uma tentativa da nação insular de conter a alta de casos de covid-19.

O medicamento é usado oralmente. Ele age de maneira a bloquear uma enzima necessária para que o coronavírus se replique no corpo humano. Caso o vírus não consiga se proliferar, seu impacto no organismo é menor. Segundo a Pfizer, a pílula é capaz de reduzir em 89% o risco de internação ou hospitalização.

-Publicidade-

A agência reguladora britânica ressalta, contudo, que ainda é cedo para saber se a eficácia do medicamento será afetada pela Ômicron, cepa dominante no país. A MHRA informou ainda que trabalha em parceria com a Pfizer para verificar a reação do medicamento contra a nova variante do coronavírus.

Paxlovid versus Ivermectina

Em entrevista concedida a Oeste, a biomédica Rute Alves Pereira e Costa explicou as semelhanças entre a Paxlovid, o Molnupiravir, a ivermectina e a hidroxicloroquina. “As quatro drogas são antivirais e devem ser utilizadas nas fases iniciais da doença”, salientou. “A hidroxicloroquina previne a entrada do vírus principalmente através do aumento da acidez num compartimento celular chamado endossomo, impedindo assim a replicação viral. Ela é altamente eficaz na redução da replicação viral, sobretudo, por ter uma boa capacidade de penetração em tecidos, em especial, no tecido pulmonar. Um dos principais mecanismos de ação da ivermectina é impedir que o vírus se ligue à célula na região viral 3CLpro, do mesmo jeito que o Paxlovid, da Pfizer, se propõe a fazer. Ou seja: Paxlovid e a ivermectina agem na mesma região do vírus.”

Clique aqui para ler a entrevista completa

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários Ver comentários

  1. A diferença para aceitar o medicamento da Pfizer, é que o tratamento deste custa U$ 512.00, o outro R$ 30,00, está explicado.

  2. É só um gripão. As pessoas morreram desse gripão devido o fato de que a MEDICINA FALHOU DE MODO HORRENDO. A MEDICINA É COMUNISTA, TRABALHA CONTRA A HUMANIDADE.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.