Reino Unido reage à intervenção chinesa em Hong Kong

Tratado entre britânicos e chineses prevê autonomia para a ilha
-Publicidade-
O presidente da China, Xi Jinping | Foto: PETER KLAUNZER/AFP/Getty Images)
O presidente da China, Xi Jinping | Foto: PETER KLAUNZER/AFP/Getty Images)

Tratado entre britânicos e chineses prevê autonomia para a ilha

O presidente da China, Xi Jinping | Foto: Peter Klaunzer/AFP/Getty Images
-Publicidade-

Nesta quinta-feira, 12, o embaixador chinês em Londres, Liu Xiaoming, foi convocado pelo governo do Reino Unido para dar explicações sobre a expulsão dos deputados pró-democracia do parlamento de Hong Kong, promovida pelo Partido Comunista Chinês no dia anterior. Segundo o ministro das Relações Exteriores britânico, Dominic Raab, o ato do governo da China viola a autonomia garantida à população da ilha através do tratado assinado entre autoridades chinesas e britânicas.

“A imposição de novas regras de Pequim para desqualificar parlamentares eleitos de Hong Kong constituiu uma violação clara da Declaração Conjunta Sino-Britânica legalmente vinculante” disse Raab. “A China voltou a descumprir suas promessas e minou o alto grau de autonomia de Hong Kong.”

Os britânicos alegam que o acordo também foi violado em 2016 e uma outra vez em 2020, quando Pequim adotou a Lei de Segurança Nacional de Hong Kong.

O diplomata europeu afirmou que seu país protegerá a população do território autônomo. “O Reino Unido defenderá o povo de Hong Kong, e denunciará as violações de seus direitos e suas liberdades”, declarou. “Com nossos parceiros internacionais, cobraremos da China as obrigações que ela assumiu livremente sob a lei internacional.”

Tratado entre chineses e britânicos

Hong Kong foi um protetorado do Reino Unido no mar da China até 1997, quando a ilha foi devolvida ao governo chinês. A transferência de soberania aconteceu em cumprimento ao acordo assinado na década anterior por Margaret Thatcher e Zhao Ziyang, que, então, eram os primeiros-ministros do Reino Unido e da China, respectivamente.

Os termos do acordo determinavam, no entanto, que a ilha manteria um alto grau de autonomia para que a população local tivesse suas liberdades preservadas e continuasse vivendo com uma economia de livre mercado.

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site