Talibã espanca dois jornalistas que cobriam manifestação de mulheres

'Achei que ia morrer', disse repórter
-Publicidade-
Ditadura asiática prometeu 'governo pacífico'
Ditadura asiática prometeu 'governo pacífico' | Foto: Reprodução/Twitter

Dois jornalistas afegãos ficaram gravemente feridos depois de serem espancados por radicais do Talibã. Ambos cobriam uma manifestação de mulheres na capital Cabul. Extremistas do governo capturaram a dupla e os levaram a uma delegacia, onde as agressões ocorreram. “Um dos talibãs colocou o pé na minha cabeça, esmagou meu rosto contra o concreto. Eles me chutaram na cabeça. Achei que iam me matar”, relatou o fotógrafo Nematullah Naqdi, em entrevista à agência de notícias AFP, publicada nesta quinta-feira, 9.

“Sentíamos tanta dor que não podíamos nos mover”, disse Taqi Daryabi, repórter que acompanhava Naqdi. Nos últimos dias, dezenas de jornalistas contaram ter sido agredidos, detidos ou impedidos de cobrir protestos. A maioria dos profissionais de imprensa são afegãos, a quem o Talibã assedia mais que a mídia estrangeira. As manifestações estão sendo um teste inicial para a recém-instalada ditadura, que após assumir o poder em 15 de agosto prometeu um governo mais tolerante e trabalhar pela “paz e prosperidade”.

Leia também: “A tragédia do Afeganistão envergonha o Ocidente”, artigo publicado na Edição 73 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

3 comentários

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro