Talibã mantém veto a mulheres para a prática de esportes

Esporte feminino é 'inapropriado e desnecessário', afirma integrante da milícia que tomou o Afeganistão
-Publicidade-
Mulher afegã, em Cabul, com o corpo completamente coberto
Mulher afegã, em Cabul, com o corpo completamente coberto | Foto: Shutterstock

Um dos líderes do Talibã, Ahmadullah Wasiq, confirmou nesta quarta-feira, 8, em entrevista à emissora de TV australiana SBS, que as mulheres do Afeganistão continuarão proibidas de praticar qualquer modalidade esportiva.

Segundo o miliciano, o esporte feminino é “inapropriado e desnecessário”. Ele respondeu a uma pergunta específica sobre o críquete, uma das modalidades mais praticadas na região.

Leia mais: “Talibã anuncia integrantes do governo provisório no Afeganistão”

-Publicidade-

“Eu acho que não será permitido às mulheres jogar críquete porque não é necessário que as mulheres joguem críquete. No críquete, elas podem estar em situações em que o rosto e o corpo delas não estejam cobertos, e o Islã não permite que elas sejam vistas dessa forma”, afirmou Wasiq.

Leia também: “Talibã anuncia que assumiu o ‘controle total’ do Vale do Panjshir”

“Essa é a era da mídia. Haverá fotos e vídeos de mulheres praticando esportes, e as pessoas poderão assistir. O Islã e o Emirado Islâmico não permitem que as mulheres joguem críquete ou os esportes em que elas ficam expostas”, completou o líder talibã.

Leia também: “As mulheres invisíveis do Afeganistão”, artigo de Ana Paula Henkel publicado na Edição 76 da Revista Oeste

Telegram
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Meios de pagamento
Site seguro