UE mantém proibição a TV russa, e Putin promete retaliação

Continuidade da suspensão reacende debate sobre liberdade de expressão na Europa
-Publicidade-
O <i>RT France</i> deve recorrer da decisão
O RT France deve recorrer da decisão | Foto: Reprodução/RT France

O Tribunal Geral da União Europeia rejeitou, nesta quarta-feira, 27, um recurso apresentado pelo canal informativo de televisão e internet RT France (o antigo Russia Today), controlado pelo Kremlin, e manteve a suspensão que vigora desde março, como sanção à invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro. Logo após a decisão do tribunal, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, prometeu uma resposta semelhante aos canais europeus.

De acordo com a decisão, o tribunal considera que a “interdição temporária e reversível” de transmissões da filial francesa do canal internacional russo não fere a liberdade de expressão, como alegou a emissora, no recurso. Segundo o Tribunal da UE, a suspensão é “proporcional”, na medida em que é “adequada e necessária”, considerando as medidas restritivas impostas contra a Rússia, em guerra com o país vizinho.

Acusados de ser instrumentos de desinformação e propaganda do Kremlin, os meios de comunicação Sputnik e RT, incluindo a sua versão francesa RT France, estão proibidos, desde 2 de março, de transmitir nos países do bloco europeu. A suspensão atinge transmissões na televisão e na internet.

-Publicidade-

Nos meios de comunicação europeus e em canais do YouTube seguem as discussões sobre censura aos europeus, privados das informações dos canais russos, ou se a questão é um legítimo direito em meio à guerra.

O RT France já anunciou que vai recorrer dessa decisão no Tribunal de Justiça da UE.

Já o presidente russo, Vladimir Putin, por meio do porta-voz, prometeu medidas semelhantes à dos europeus. “É claro que vamos tomar medidas semelhantes de pressão sobre a comunicação social ocidental que opera no nosso país”, disse o porta-voz da Presidência russa, Dmitri Peskov, na sua conferência de imprensa diária. “Também não vamos deixá-los trabalhar no nosso país, e, nesse sentido, a nossa posição não será branda”, garantiu.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

1 comentário Ver comentários

  1. Se a questão é a liberdade de expressão, pergunto: nesses canais russos, quem é contra a guerra ou contra posições do sr. Putin, pode se manifestar?

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.