Revista Oeste - Eleições 2022

Uma cidade da Ucrânia resiste aos russos

Melitopol, cidade de maioria russa, enfrenta os invasores até com guarda-chuvas. "Nós queremos desmoralizá-los, corroer seus espíritos"
-Publicidade-
Foto: reprodução wikipedia
Foto: reprodução wikipedia

Uma cidade da Ucrânia resiste aos russos: Militopol, localizada a 40 quilômetros do mar Negro. Reportagem da edição de hoje do Wall Street Journal revela em detalhes o quanto Vladimir Putin está distante da realidade.

Segundo a matéria, assim que os russos invadiram a cidade na última sexta 4, fizeram um caminhão rolar pela cidade avisando que qualquer manifestação pública estava proibida “para prevenir desordens”. Logo no dia seguinte milhares de habitantes marcharam pelas ruas com bandeiras ucranianas gritando: “Vão para casa! Vão para casa!”

Mapa: reprodução Google Maps
-Publicidade-

O choque de realidade para Putin é que Melitopol é uma cidade de maioria russa. “Ele pensou que nessas cidades a gente estaria feliz e os receberia com bandeiras russas”, declarou um cirurgião local. “Mas ninguém aqui estava esperando pela Rússia. Nós queremos desmoralizá-los, corroer seus espíritos”.

Os russos ofereceram um cargo ao prefeito da cidade, Ivan Fedorov, que se recusou a colaborar com os invasores. Na sua conta no Facebook, o prefeito descreve a cidade como “temporariamente ocupada”. Bandeiras russas foram hasteadas nos edifícios municipais, mas logo estavam ocultas por bandeiras ucranianas.

No dia primeiro de março algumas centenas de pessoas se reuniram ao meio-dia para rezar na praça central. Logo as pessoas começaram a cantar o hino nacional ucraniano e a agitar bandeiras nacionais, uma delas com os dizeres “Melitopol é nossa terra”. Em seguida caminharam até os prédios tomados pelos russos e foram recebidos a tiros. Dezenas de cidadãos revoltados resolveram enfrentar carros blindados armados somente por seus guarda-chuvas. Desde então o “protesto do meio-dia” se tornou um programa diário na cidade.

Estátua de Vladimir Lenin numa praça de Melitopol. (Foto: reprodução Wikipedia)

O prefeito Ivan Fedorov deixou claro que quem colaborar om o inimigo será punido criminalmente. “A guerra vai acabar, e com absoluta certeza qualquer um que tenha violado a lei vai responder por isso”. Segundo o Wall Street Journal, alguns dos residentes ouviram soldados russos declararem que não queriam estar em Melitopol, mas que enfrentariam uma longa temporada na cadeia se desobedecessem às ordens.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

2 comentários Ver comentários

  1. Uai, cadê os putinminions fazendo a propaganda da Rússia, aaaa é , é a população que está defendendo o próprio país e não o “político”.
    Que vença a paz!
    Rússia derrete.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.