Venezuela expulsa embaixadora da União Europeia

Governo de Maduro dá 72 horas para diplomata deixar o país
-Publicidade-
Venezuela age contra diplomata da UE
Venezuela age contra diplomata da UE | Foto: Reprodução/Internet

Mais um ponto negativo nas relações diplomáticas da Venezuela de Nicolás Maduro. Nesta quarta-feira, 24, o governo comandado por ele resolveu expulsar a embaixadora da União Europeia em Caracas. Com a decisão, Isabel Brilhante terá 72 horas para deixar o país sul-americano.

Leia mais: “Líder do Estado Islâmico na Alemanha é condenado a 10 anos de prisão”

-Publicidade-

O anúncio que estremece a relação diplomática da Venezuela com o bloco foi anunciado pelo ministro das Relações Exteriores venezuelano, Jorge Arreazza. Em pronunciamento, o aliado de Maduro classificou a representante da União Europeia como persona non grata.

Para o regime venezuelano, a embaixadora deixou de ser bem-vinda após a União Europeia confirmar novas sanções comerciais. Confirmadas no início da semana, a postura europeia foi resposta às contestadas eleições para o Parlamento da Venezuela, Poder dominado por Maduro e aliados.

“Minar os direitos eleitorais da oposição e o funcionamento democrático da Assembleia Nacional”

Na explicação, a União Europeia afirmou que sanções pessoais e comerciais contra autoridades venezuelanas entrariam em vigor devido ao cerco contra a oposição. “As pessoas adicionadas à lista são responsáveis, em particular, por minar os direitos eleitorais da oposição e o funcionamento democrático da Assembleia Nacional, e por graves violações dos direitos humanos e restrições das liberdades fundamentais”, pontuou o bloco, conforme destaca o portal G1.

Ação repetida da Venezuela

Essa não foi a primeira vez que Isabel Brilhante foi taxada como persona non grata na Venezuela. Em julho de 2020, o governo local chegou a fazer a mesma ameaça de agora: de que ela seria expulsa do país por causa de restrições diplomáticas definidas pela União Europeia. Na ocasião, o país voltou atrás e Isabela seguiu como a representante legal do bloco europeu na capital Caracas.

Leia também: “O novo macarthismo”, artigo de Ana Paula Henkel publicado na edição 48 da Revista Oeste.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.