-Publicidade-

Executivo e Legislativo reforçam compromisso com o teto de gastos

Bolsonaro fala em "importante reunião" com Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia
Foto: REPRODUÇÃO/TV BRASIL
Foto: REPRODUÇÃO/TV BRASIL | teto de gastos - bolsonaro - alcolumbre - maia

Em pronunciamento, Bolsonaro fala em “importante reunião” com Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia

Em pronunciamento nesta quarta-feira, 12, na entrada do Palácio da Alvorada, o presidente afirmou que respeita o teto de gastos

Um dia após dois secretários especiais pedirem demissão do Ministério da Economia, protagonistas do Executivo e do Legislativo se reuniram para renovar o compromisso de respeitar o teto de gastos.

Leia mais: “Última mensagem de Salim Mattar no governo: ‘Temos de privatizar os Correios rapidamente’”

A definição em prol dos cofres públicos ocorreu em reunião realizada no Palácio do Planalto na tarde desta quarta-feira, 12. Além da presença de outros agentes políticos, o encontro contou com o presidente da República, Jair Bolsonaro, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Em pronunciamento depois da reunião, o trio reforçou que trabalhará para que os gastos da União sejam contidos no decorrer deste ano, que contará com período eleitoral.

“Nós respeitamos o teto dos gastos. Queremos a responsabilidade fiscal. E o Brasil tem como realmente ser um daqueles países que melhor reagirá à questão da crise”, disse Bolsonaro.

O presidente sinalizou também com avanços tanto na política de privatizações de empresas públicas como na apresentação da reforma administrativa.

“Assuntos variados foram tratados [na reunião], como privatizações, outras reformas, como a administrativa. De modo que nós nos empenharemos, mesmo que em ano eleitoral, juntos, para buscar soluções, destravar a nossa economia e colocar o Brasil no local que ele sempre mereceu estar”, disse o presidente.

Apoio a Guedes

O prometido respeito ao teto de gastos pelo Executivo e Legislativo pode ser entendido como apoio a Paulo Guedes. Isso porque o Ministro da Economia afirmou ontem que há quem defenda “furar o teto” planejado por ele e sua equipe.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês