Advogado vai ao STF para que Pazuello possa ficar em silêncio em depoimento

Rafael Mendes de Castro Alves afirma que ex-ministro deve ser protegido para que não seja 'conduzido à prisão por interpretação de qualquer dos membros' da CPI
-Publicidade-
O general Eduardo Pazuello prestará depoimento à CPI da Covid no dia 19
O general Eduardo Pazuello prestará depoimento à CPI da Covid no dia 19 | Foto: Marcos Correa/Agência Brasil

Um advogado do Rio de Janeiro acionou nesta quinta-feira, 13, o Supremo Tribunal Federal (STF) para que seja concedido um habeas corpus ao ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, que poderia permanecer em silêncio durante seu depoimento à CPI da Covid no Senado, marcado para quarta-feira 19. As informações são do portal UOL.

Ainda não está definido qual ministro da Corte será responsável por analisar o pedido de habeas corpus. Até o momento, nem a Advocacia-Geral da União (AGU) nem o advogado Zoser Hardman, que representa o ex-ministro, apresentaram qualquer pedido semelhante.

Leia mais: “Carlos Bolsonaro e Wajngarten participaram de reunião com a Pfizer, diz executivo”

-Publicidade-

Na petição de oito páginas apresentada ao STF, o advogado Rafael Mendes de Castro Alves afirma que Pazuello deve ser preservado e protegido para que não seja “conduzido à prisão por interpretação de qualquer dos membros que integram a CPI”. Segundo ele, o ex-ministro não pode ser alvo de “constrangimento ilegal” e tem a prerrogativa de “se retirar do recinto em caso de ofensa dirigida contra si por membro da CPI”.

Leia mais: “Pfizer fez primeiras ofertas de vacinas em agosto de 2020, diz executivo”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

1 comentário

  1. Faz muito bem! Esta CPI deveria mirar os governadores e prefeitos que atacaram os cofres públicos. A vergonha nacional de senadores minúsculos, que permite tanta aberração .”Êta democracia braba e barata”.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site