-Publicidade-

Alcolumbre aguarda aval do governo para pautar vetos

Alcolumbre aguarda aval do governo para pautar vetos
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) | Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) | Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL | O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) | Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

O presidente do Congresso, Davi Alcolumbre, tenta construir acordo para que pontos de interesse do governo não sejam derrubados pelos congressistas

será um dia histórico
O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) | Foto: MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

O presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP), aguarda sinalização do governo para convocar uma sessão para votar os vetos do presidente Jair Bolsonaro. Líderes ainda não entraram em consenso sobre a votação.

Acumularam-se diversos vetos desde o final de 2019, como os relativos ao pacote anticrime, à expansão do auxílio emergencial, ao saneamento básico e à desoneração na folha de pagamento. A manutenção desses dois últimos é primordial para o governo.

“Ainda não foi construído um entendimento. Ele [Alcolumbre] está sendo pressionado pelo Congresso, mas está relutante por causa do governo”, disse um líder ouvido por Oeste.

Desde o início da pandemia, deputados e senadores não se reúnem em sessão conjunta para confirmar ou rejeitar os vetos de Bolsonaro. Contudo, a votação tem sido cobrada por congressistas. O presidente do Congresso convocou e adiou sessões sucessivas vezes.

Para a derrubada de um veto, é necessária maioria absoluta dos votos de deputados e senadores, ou seja, 257 votos de deputados e 41 votos de senadores, computados separadamente. Registrada uma quantidade inferior de votos pela rejeição em uma das Casas, o veto é mantido.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.