-Publicidade-

Alcolumbre barrou entrada da PF no gabinete de Serra

Presidente do Senado impediu que a Polícia Federal cumprisse o mandado de busca e apreensão no gabinete do senador José Serra
Serra é alvo da Lava Jato por suposto crime eleitoral | Foto: Roque de Sá/Agência Senado
Serra é alvo da Lava Jato por suposto crime eleitoral | Foto: Roque de Sá/Agência Senado | Gabinete Serra buscas

Presidente do Senado impediu que a Polícia Federal cumprisse mandado de busca e apreensão no gabinete do senador José Serra

Gabinete Serra
Serra é alvo da Lava Jato por suposto crime eleitoral | Foto: Roque de Sá/Agência Senado

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), barrou a entrada da Polícia Federal no gabinete do senador José Serra (PSDB-SP). O tucano foi alvo de uma operação na manhã desta terça-feira, 21.

O presidente do Senado considerou que um juiz de primeira instância não tem competência para determinar uma medida invasiva dentro do Senado e que a Polícia Federal não poderia cumprir a ordem. Com isso, os agentes da PF foram barrados pela Polícia Legislativa.

No momento em que policiais chegaram, não havia ninguém no gabinete. Assessores e advogados do senador foram ao local para conversar com os agentes.

Investigação

A PF deflagrou a operação Paralelo 23. Essa é a terceira fase da Lava Jato junto à Justiça Eleitoral de São Paulo. Um dos investigados é o ex-ministro e hoje senador José Serra (PSDB), que já é alvo da Lava Jato por suposta lavagem de dinheiro.

De acordo com as investigações, há indícios de recebimento pelo parlamentar de doações eleitorais não contabilizadas que chegam a R$ 5 milhões. Além disso, os valores seriam repassados por meio de operações financeiras e societárias simuladas para ocultar a origem ilícita do dinheiro.

No entanto, Serra disse ter sido surpreendido pela “nova e abusiva operação” da PF em seus endereços e que “jamais foi ouvido” nas investigações. Também destacou a espetacularização nesse tipo de ação no Brasil e pediu rapidez nas investigações, a fim de não ter a honra manchada por “acusações falsas”.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

12 comentários

      1. Estão todos de rabo preso…
        Cadeia e pouco desde quem empidio o trabalha da PF e a máfia toda..Daí acredito que estaremos livres…(ESQUECEM que político não é profissão ,e sim prestadores de serviço…
        E ainda nos roubam até um centavo…Soltem o OSSO…

      2. Se não deve deixa a polícia trabalhar, isso tem cheiro de coisa escondida.

  1. A classe politica brasileira perdeu o senso do que é certo e do que é errado. Há discursos moralistas, mas a prática visa benefícios próprios. Reputo ao Poder Judiciário a responsabilidade por esta dinâmica, pois os casos são sempre engavetados até prescreverem, o que estimula a corrupção. Não quero pré julgar este senador, dado o histórico parece que há muita sujeira embaixo do tapete. E o mais triste é que a maioria passa um tempo no holofote e depois aparece com a cara lavada.
    A sociedade brasileira precisa se mobilizar para mudar este circulo vicioso.

  2. O grande gestor do Ministério da Saúde… , dos almoços com o pessoal da Alston, das histórias do Rodoanel.. dos Paulos Brancos e Pretos.. A historia desse sujeito vai para a ruína, será jogada lá no canto do cemitério onde ficam as coroas de flores secas e apodrecidas, que não se prestam mais…

    1. Quem tem medo tem culpa, só do Batoré e do amigo do amigo do Lula ladrão bloquear a investigação, já é um atestado de culpa. Depois dessa vai ser difícil defender a honra, o melhor é se esconder que nem o Aécio Neves, pra não ficar ainda mais manchada

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.